X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

O que a escola fez por mim: "Consegui ser forte e mostrar o meu valor”

Relato é da médica neurologista Mariana Grenfell



Imagem ilustrativa da imagem O que a escola fez por mim: "Consegui ser forte e mostrar o meu valor”
Mariana Grenfell |  Foto: Arquivo Pessoal

“Sempre gostei muito de estudar. Era uma das primeiras alunas na escola, inclusive cheguei a ganhar bolsa de estudo. A minha educação sempre foi prioridade.

Meu sonho de ser médica surgiu ao ver minha mãe exercendo a profissão com tanta paixão e zelo. Meus pais, irmãs e meu marido sempre me apoiaram em tudo. Foram e são base fundamental para a minha realização profissional.

Apesar de na infância morar em Alto Lage, Cariacica, sempre estudei em Vitória. Passei pela Escola São Domingos e Darwin. Depois, fiz faculdade na Emescam e residência na Unifesp.

Passei por um período muito difícil na época da faculdade, pois logo que entrei, minha mãe adoeceu e teve que parar de trabalhar. Não tínhamos condições de arcar com os estudos. Eu já tinha uma bolsa naquela época e mesmo assim foi difícil. Em casa cuidava da minha mãe, revezando com minhas irmãs, e trabalhava aos fins de semana para ajudar com os custos.

Por inúmeras ocasiões, na minha profissão, sofri preconceito por ser mulher. Mas em todas elas, consegui ser forte e mostrar o meu valor como profissional. Para as mulheres que sonham em ser médicas, um conselho é que nunca esqueçam seu real valor. Se dediquem ao máximo e aguardem a colheita!"

- Mariana Grenfell, 40 anos, neurologista

MATÉRIAS RELACIONADAS:

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: