X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Política

Moraes devolve redes sociais do senador Marcos do Val após quase um ano

Do Val se envolveu em uma série de polêmicas com Moraes, mas o motivo do bloqueio e da operação nunca ficou claro, diante do sigilo do processo


Imagem ilustrativa da imagem Moraes devolve redes sociais do senador Marcos do Val após quase um ano
Marcos do Val estava com as redes sociais bloqueadas desde junho do ano passado, quando Moraes determinou busca e apreensão na casa dele |  Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil e Agência Senado

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes devolveu as redes sociais do senador Marcos do Val (Podemos-ES) após quase um ano de suspensão.

"Após quase 11 meses, tivemos nossas redes sociais reativadas! Voltamos e conto com essa legião de amigos seguidores para que nossa mensagem alcance o maior número de pessoas possíveis. Estamos juntos mais uma vez!", publicou o senador nesta terça (14), ao retomar suas contas no X (antigo Twitter) e no Instagram.

Do Val disse à Folha de S.Paulo que foi avisado da decisão na sexta (10) pelo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG).

"Fui comunicado pelo Pacheco na sexta-feira. Porque ele [Pacheco] que fez a solicitação duas vezes. Na primeira ele [Moraes] nem olhou. Pacheco apresentou outra. Aí ele fez a devolução de todas as redes, só que ainda dizendo que, caso eu faça alguma postagem de fake news, ele diretamente vai tirar do ar."

O senador estava com as redes sociais bloqueadas desde junho do ano passado, quando Moraes determinou busca e apreensão na casa dele, no escritório do Espírito Santo e no gabinete parlamentar.

A decisão, que está sob sigilo, é também de sexta. Segundo relatos, Moraes determinou ainda que a Polícia Federal informe os objetos apreendidos na operação. Na ocasião, os agentes recolheram o computador pessoal de Do Val, além de pendrives e celulares.

Do Val se envolveu em uma série de polêmicas com Moraes, mas o motivo do bloqueio e da operação nunca ficou claro, diante do sigilo imposto ao processo.

Em um primeiro momento, o senador disse à revista Veja que o ex-deputado federal Daniel Silveira tramou um plano, junto a Jair Bolsonaro (PL), para gravar o magistrado. Depois, Do Val disse que o ex-presidente apenas ouviu a ideia, sem se comprometer com a gravação.

Após o 8 de janeiro, o senador disse, sem apresentar provas, que Moraes sabia da possibilidade de invasão às sedes dos Poderes. A acusação foi feita inclusive durante a CPI do 8 de janeiro, da qual Do Val era membro antes da operação da PF.

No X, a última postagem do senador era de 14 de junho do ano passado. Na publicação, ele compartilhava um vídeo do Portal Uai cujo título era: "Senador quer investigar Alexandre de Moraes nos atos de 8/1."

"Seguindo o que determina a constituição que cabe aos senadores, fiscalizar, afastar e até impeachmar ministros do STF. É notório em todos os meios jurídicos e entre e entre os magistrados, por todo o Brasil, as ações anticonstitucionais do ministro Alexandre de Moraes", dizia.

MATÉRIAS RELACIONADAS:

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: