X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Polícia

VÍDEOS | Polícia usa luminol para encontrar sangue em quarto onde médica foi morta

Luminol é uma substância química que emite uma luz azulada quando entra em contato com o sangue


Imagem ilustrativa da imagem VÍDEOS | Polícia usa luminol para encontrar sangue em quarto onde médica foi morta
Peritos usaram luminol em quarto de hotel |  Foto: Reprodução vídeo

Policiais utilizaram uma substância química chamada luminol na segunda perícia feita na tarde de terça-feira (05) em um quarto de hotel em Colatina, no Noroeste do Espírito Santo, onde a médica psiquiatra Juliana Ruas El-Aouar foi achada morta, no último sábado (02). 

Luminol é uma substância química que emite uma luz azulada quando entra em contato com o sangue. O intuito é identificar se há resquícios de sangue em outras partes do quarto, já que há suspeitas de que o motorista do casal, Robson Gonçalves dos Santos, de 52 anos, tenha entrado no cômodo e mexido na cena do crime.

Leia mais notícias de Polícia aqui

Vídeos mostram o trabalho dos peritos na cena do crime. Para realizar a perícia com a substância química, os policiais precisaram retirar a iluminação do quarto para usar uma luz especial em tom azulado, que revela os pontos com a substância.


Policia Civil

Titular da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Colatina, o delegado Deverly Pereira Junior ressaltou a importância do trabalho investigativo da Polícia Civil com a realização de exames técnicos feitos pela perícia. "Isso pode ser fundamental para a elucidação da cena do crime", disse ele. 

Além da perícia, a reconstrução dos fatos para ajudar a entender o caso não está descartada pelo titular da DHPP de Colatina.

MATÉRIAS RELACIONADAS:

As gravações das câmeras de videomonitoramento do corredor do quarto e do saguão do hotel estão analisadas e novas testemunhas serão ouvidas. Nas imagens, diz a polícia, é possível ver o motorista entrando, em alguns momentos, no quarto do casal.

Nesta quarta-feira (06), o delegado informou que a Polícia Civil de Minas Gerais cumpriu mandado de busca e apreensão no apartamento onde o casal morava. 


Polícia Civil

Relembre

A Polícia Civil prendeu em flagrante o marido e o motorista da médica Juliana Ruas El-Aouar, que foi encontrada morta dentro de um quarto de hotel na manhã de sábado (02), em Colatina, no Noroeste do Espírito Santo.

Juliana estava hospedada com o seu marido, Fuvio Luziano Serafim, de 44 anos, em um quarto de um hotel na cidade, enquanto o motorista Robson Gonçalves dos Santos, de 52 anos, estava hospedado no quarto ao lado. Durante a madrugada, outros hóspedes relataram "barulho e bagunça" no quarto do casal.

Segundo a Polícia Militar, pela manhã, o marido compareceu à recepção do hotel querendo pagar a conta e deixar o local o quanto antes. Funcionários relataram que ele estava "bastante alterado" e que teria informado que a esposa estava "passando mal, tendo desmaiado".

Diante do comportamento suspeito, o próprio hotel acionou o Samu, que esteve no local e atestou o óbito da vítima. Fuvio e Robson foram levados pela Polícia Militar para a Delegacia Regional de Colatina para depoimentos. Ainda no sábado, os dois foram autuados em flagrante, segundo a Polícia Civil, por meio de nota.

Juliana Ruas El-Aouar era filha do ex-prefeito e ex-vereador de Teófilo Otoni, Dr. Samir Sagi El-Aouar. A Câmara Municipal da cidade mineira compartilhou uma nota de pesar em solidariedade à família e amigos da médica.

Fuvio Luziano Serafim foi autuado em "flagrante por homicídio qualificado por motivo torpe mediante recurso que dificulte ou torne impossível a defesa do ofendido, cometido contra a mulher por razões da condição de sexo feminino (feminicídio)".

Já o motorista Robson Gonçalves dos Santos foi autuado "em flagrante por homicídio qualificado por motivo torpe mediante recurso que dificulte ou torne impossível a defesa do ofendido".

Os dois foram presos e encaminhados para o sistema prisional, onde passaram por audiência de custódia na segunda-feira (04) e a Justiça decretou a prisão preventiva dos dois suspeitos. 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: