Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Ex-funcionário é acusado de agredir cães em creche para animais em Vitória

| 14/10/2020 09:35 h | Atualizado em 14/10/2020, 11:37

Cão é segurado pelo pescoço e depois solto
Cão é segurado pelo pescoço e depois solto |  Foto: Reprodução de vídeo
O ex-funcionário de uma creche para animais em Vila Velha foi acusado de agredir dois cães que frequentam o local.

Dois vídeos que circularam nas redes sociais na terça-feira (13) seriam do rapaz segurando um dos animais pelo pescoço e atirando um brinquedo em outro.

A proprietária do local, Lorença Ferreira, registrou um boletim de ocorrência na 2ª Delegacia Regional do município na noite de terça contra o ex-funcionário.

Ela afirmou para a polícia que o rapaz trabalhou no local durante um mês. O acusado foi demitido há duas semanas.

A creche alegou que o homem foi indicado por duas pessoas conhecidas e passou por um período de experiência na empresa.

“Tivemos problemas com ele por vários motivos, mas nunca imaginamos que ele teria coragem de fazer uma coisa dessas”, afirmou a proprietária do estabelecimento em uma série de vídeos nas redes sociais.

“Todo mundo que conhece nosso trabalho sabe do amor que temos pelos cães. Foi uma situação extremamente atípica e que não vai ocorrer novamente”, explicou a dona.

Em entrevista ao Tribuna Online, Lorença disse que "eu vou garantir que ele pague pelo que ele fez. Eu vou até o fim. Quero que ele vá pra cadeia".

A proprietária disse ainda que está estarrecida com o ocorrido. "Estamos revoltados. Não tivemos conivência com isso. Graças a Deus estamos recebendo muito apoio dos nossos clientes", explicou. 

No primeiro vídeo, o rapaz teria dito “essa cachorra me odeia. Cala a boca!” e jogado um brinquedo na direção da cadela, que é da raça Spitz Alemão. Ela sai correndo.

No outro vídeo, o acusado estaria segurando um cão da raça Pinscher pelo pescoço enquanto o animal se debate. “Fica latindo o dia inteiro, estou ficando doido”, diz o ex-funcionário sobre o cachorro.

Nas redes sociais, a tutora do Pinscher afirmou que “eu estou até agora sem acreditar nesse vídeo. Eu já estava desconfiando que alguém estava o maltratando na creche, só que eu não tinha certeza”.

Cadela sai correndo após ex-funcionário atirar brinquedo
Cadela sai correndo após ex-funcionário atirar brinquedo |  Foto: Reprodução de vídeo
A mulher contou que “quando chegava na porta da creche, ele não queria entrar. A dona me ligou pra me dar uma satisfação e disse que estava na delegacia”.

Muito emocionada, a tutora destacou que “isso não vai ficar assim. Isso não se faz com uma pessoa, não se faz com um cachorro que não sabe falar”. Ele é tudo pra mim! Ele não faz nada, é um cachorro muito pequeno. Estou me sentindo muito mal”, relatou.

A reportagem tentou falar com o acusado pelas redes sociais, mas não teve retorno até esta publicação.

Por meio de nota, a Polícia Civil informou que "o caso foi registrado ontem na 2ª Delegacia Regional de Vila Velha, e será encaminhado para Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente e Patrimônio Cultural (DPMAPC) para apuração dos fatos. Para que a apuração seja preservada, nenhuma outra informação será repassada.

A PCES destaca que a população pode auxiliar na investigação por meio do telefone 181. O Disque-Denúncia é uma ferramenta segura, onde não é necessário se identificar para denunciar. Todas as informações recebidas são investigadas. As informações ao Disque-Denúncia ainda podem ser enviadas por meio do site, onde é possível anexar imagens e vídeos de ações criminosas".

Também por meio de nota, o Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV) explicou que "tomará as providências de enviar a denúncia para o Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES) e acompanhará o caso de perto".

Comissão acompanha o caso

A Comissão Especial de Proteção e Defesa dos Animais da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Espírito Santo (OAB-ES) está acompanhando o caso e vai enviar um ofício para a Secretaria de Meio Ambiente de Vitória, para a Polícia Civil e para o Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV).

A presidente da comissão, Marcella Gava, explicou que a OAB-ES também vai fiscalizar a aplicação da Lei Sansão, sancionada no fim de setembro.

Morte em julho

A creche é a mesma onde um Spitz Alemão morreu ao ser atacado por um Bull Terrier, no dia 23 de julho, na unidade de Vitória.

Na época, a proprietária disse para o Tribuna Online que “foi uma fatalidade. Poderia acontecer em qualquer lugar. Não foi culpa minha, mas foi dentro do meu estabelecimento. Não me eximo de responsabilidade nenhuma. Estou me sentindo muito mal com tudo que aconteceu. Não quero que ninguém passe por isso porque eu também amava ele. Não tem como você conviver com um cão e não se apegar”.
 

Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS