X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Fundo Fundo

Bento Venturim: “Chegada dos italianos mudou a economia do Espírito Santo”

Presidente do Sicoob-ES, destaca a influência dos imigrantes na produção do café



Imagem ilustrativa da imagem Bento Venturim: “Chegada dos italianos mudou a economia do Espírito Santo”
Bento Venturim é um entusiasta das ações voltadas para a melhoria da qualidade do café do Espírito Santo |  Foto: Fábio Nunes / AT

“Os imigrantes que vieram ao Espírito Santo construíram a pluralidade do povo capixaba. Todos, independentemente da origem, merecem lugar em nossa memória. A menos de um mês de comemorarmos os 150 anos da imigração italiana no Brasil, precisamos reconhecer a contribuição histórica, cultural e econômica das gerações de ítalo-capixabas à nossa terra.

A chegada dos italianos mudou o nosso rumo econômico e, sem dúvida, diversificou a nossa economia. Os italianos trouxeram a cultura da produção do café para o Estado, junto aos alemães e aos poloneses. O sonho de construir a América, contudo, exigia trabalho duro, pioneirismo e coragem.

Primeiros anos

Nasci em Venda Nova do Imigrante e sou neto de italiano, o nonno Francesco Venturin, que veio aos 8 anos com a família para o Espírito Santo. Meu avô veio de Veneto, especificamente de Belluno, no norte da Itália, em 1882, diretamente para a região de Alfredo Chaves, até ir para Venda Nova do Imigrante.

Nonno Chico foi, inclusive, o primeiro imigrante italiano da cidade, ou seja, Francesco Venturin é o italiano que dá nome ao ‘imigrante’ de Venda Nova. À época, todas as grandes famílias italianas fugiam das dificuldades pós-guerra. Apesar do contexto, construímos memórias inesquecíveis em família.

Todos morávamos a menos de 2 km de distância e, por isso, vivíamos nas casas dos primos, brincávamos, íamos à mesma igreja e fazíamos festas. Minha família veio da Itália para trabalhar na cafeicultura, ou seja, o café sempre esteve muito presente em nossa rotina.

Meus pais sempre valorizaram a educação. Por isso, aos 9 anos, eu saí de Venda Nova do Imigrante, que ainda não tinha energia elétrica, para estudar em um colégio interno, em Marilândia.

Desde cedo, aprendemos a lidar com a propriedade rural e a buscar os nossos sonhos. Não sabia, à época, mas a mudança foi o início da construção da minha trajetória.

Cooperativismo

O italiano tem vocação forte para o cooperativismo. Fazíamos tudo por meio do associativismo. Meu pai, em Venda Nova do Imigrante, fazia parte de uma cooperativa agropecuária que, na época, era a maior do Espírito Santo. Ele participava do conselho fiscal e, por isso, eu já estava presente nas reuniões e assembleias.

Em 1970, me mudei para São Gabriel da Palha, onde produzimos café, e comecei a estudar Direito em Colatina. Me associei à cooperativa dos cafeicultores e, em 1988, após passar pelos conselhos fiscal e de administração, constituí uma cooperativa de crédito em que entrei como vice-presidente. Oito anos depois, assumi a presidência.

Essa cooperativa de crédito hoje faz parte do sistema regional Sicoob-ES. Naquela época, ajudei na constituição da Central do Sicoob-ES e, no segundo ano, assumi a presidência, posto que ocupo até hoje, comemorando os 35 anos de atuação do sistema regional no Estado.

Como as associações, o cooperativismo é central para o êxito econômico do Estado, e isso pode ser comprovado ao olhar tudo o que os nossos colonizadores construíram.

O Sicoob-ES faz parte de uma instituição nacional e, apesar de ter se adaptado às tecnologias e oferecer todo o conforto do digital, tem agências em todo o Brasil.

Isso é muito característico do cooperativismo: você está próximo e tem relacionamento próximo com as pessoas. Essa é a essência do que fazemos.

Cafeicultura contemporânea

Hoje, todos os produtores de café do Espírito Santo estão fazendo um trabalho brilhante. Há 20 anos, éramos o produtor dos piores cafés do mundo. Hoje, o cenário é oposto: o Espírito Santo se orgulha em dizer que nós temos os melhores cafés do mundo.

É um legado construído com o esforço, o pioneirismo e o conhecimento de gerações de capixabas descendentes de italianos, de alemães e de poloneses, por exemplo. O que vimos ser construído há mais de um século, com certeza, nos trouxe ao cenário de hoje.

É uma responsabilidade, um legado e uma conquista que os ítalo-capixabas compartilham com todos os outros imigrantes na formação do Estado: contribuímos para a disseminação da cultura do café, revolucionamos nosso modo de produzir e nos tornamos líderes em qualidade".

Depoimento concedido ao repórter Jonathas Gomes.

Para ler esta reportagem em italiano clique aqui

Quem é?

- Bento Venturim, de 76 anos, é presidente do Sicoob-ES e vice-presidente da instituição financeira cooperativa em nível nacional.

- Neto de italiano, o empresário nasceu em venda nova do imigrante e é um entusiasta das ações voltadas para a melhoria da qualidade do café do Espírito Santo.

- Como dirigente do Sicoob-ES, Venturim lidera atividades voltadas para o desenvolvimento das diversas regiões do Estado, assim como de projetos de responsabilidade socioambiental


Imagem ilustrativa da imagem Bento Venturim: “Chegada dos italianos mudou a economia do Espírito Santo”
“Todas as grandes famílias italianas fugiam das dificuldades pós-guerra. Apesar do contexto, construímos memórias inesquecíveis” |  Foto: Arquivo Pessoal


Imagem ilustrativa da imagem Bento Venturim: “Chegada dos italianos mudou a economia do Espírito Santo”
Agência antiga do Sicoob-ES: a cooperativa está celebrando 35 anos reunindo mais de 720 mil associados |  Foto: Arquivo Pessoal


Imagem ilustrativa da imagem Bento Venturim: “Chegada dos italianos mudou a economia do Espírito Santo”
Assinatura da Constituição da cooperativa Sicoob-ES |  Foto: Arquivo Pessoal


Imagem ilustrativa da imagem Bento Venturim: “Chegada dos italianos mudou a economia do Espírito Santo”
Encontro de centrais de cooperativas de crédito, em Vitória, no ano de 1993 |  Foto: Arquivo Pessoal


Imagem ilustrativa da imagem Bento Venturim: “Chegada dos italianos mudou a economia do Espírito Santo”
O casal Bento Venturim e Rosa Maria Caser Venturim com os filhos Isaac Bento, Francisco Giovanni e Lucas Henrique Caser Venturim |  Foto: Arquivo Pessoal

História

- O SICOOB-ES está celebrando 35 anos este ano e, em 2023, foi reconhecido como o Maior Grupo Empresarial do Estado, segundo o Anuário IEL 200 Maiores e Melhores Empresas no Espírito Santo.

- Parte de um dos 14 sistemas regionais do País, o Sicoob-ES reúne mais de 720 mil associados e, no terceiro trimestre do ano passado, atingiu um marco histórico de R$ 20 bilhões em ativos.

- O Sistema Regional sediado no Espírito Santo atua também no Rio de Janeiro, na Bahia e em São José dos Campos, em São Paulo, por meio de seis cooperativas singulares: Sul-Litorâneo, Sul, Coopermais, Sul-Serrano, Credirochas e Conexão.

- Ao longo de 2023, o Sicoob-ES ampliou sua presença com a inauguração de 16 novos pontos de atendimento em diversas localidades e fechou o ano com um total de 188 pontos de atendimento, distribuídos pelos quatro estados.

- O SICOOB-ES integra um sistema nacional que conta com mais de 7,7 milhões de associados, estando presente em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal.

- O sistema ocupa a liderança entre as instituições financeiras com o maior número de agências no Brasil, superando 4,6 mil pontos de atendimento e comemorando ser a única instituição financeira presente em mais de 400 municípios.

Fonte: Sicoob -ES.


Imagem ilustrativa da imagem Bento Venturim: “Chegada dos italianos mudou a economia do Espírito Santo”
Bento Venturim lidera atividades voltadas para o desenvolvimento das diversas regiões do Estado, assim como de projetos de responsabilidade socioambiental do Sicoob-ES |  Foto: Arquivo Pessoal

Celebração

Nos próximos dias, “O Que Eu Vi e Vivi” abre uma página na história dos 150 anos da imigração italiana no Espírito Santo e apresenta personalidades que viveram ou ouviram relatos de seus antepassados.

São histórias de vidas, culturas, tradições e desenvolvimento. A Rede Tribuna se sente honrada em fazer parte dessa trajetória, auxiliando na preservação e na propagação de nossa memória.

O projeto 150 Anos da Imigração Italiana no Espírito Santo levará ao público um riquíssimo conteúdo, com informações sobre a chegada dos imigrantes italianos em solo capixaba.

Serão exibidos vídeos na TV Tribuna/SBT, matérias no jornal A Tribuna, webséries no portal Tribuna Online e nas rádios Tribuna FM e Legal FM.

Acompanhe esta envolvente jornada pelas raízes italianas no Espírito Santo!

MATÉRIAS RELACIONADAS:

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: