X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Economia

Investimento para modernizar os portos de Vitória, Vila Velha e Aracruz

Concessionária dos portos de Vitória, Vila Velha e Barra do Riacho, a Vports vai apresentar projetos em evento de logística



Imagem ilustrativa da imagem Investimento para modernizar os portos de Vitória, Vila Velha e Aracruz
Vports vai investir em interligação com o modal ferroviário e melhorias nos portos. Captação de mil empregos com novos projetos é feita por parceiros e prestadores de serviço, e não pela empresa |  Foto: Divulgação/ Vports

A Vports – empresa que administra dos portos de Vitória, Vila Velha e Barra Riacho – vai apresentar na próxima semana investimentos de R$ 150 milhões em obras de infraestrutura e melhorias no complexo portuário capixaba.

As intervenções realizadas e a serem implementadas em 2024 vão ser apresentadas pela Vports nos três dias da Intermodal, maior evento de logística da América Latina, que acontece entre os próximos dias 5 e 7, em São Paulo.

“É um momento importante para apresentar os novos projetos, investimentos e as oportunidades que surgem para a cadeia num contexto de maior autonomia e dinamismo. Afinal, temos um novo porto, com uma cara nova e mais conectado com os anseios do mercado e sociedade”, afirma Ilson Hulle, diretor-presidente da Vports.

Hulle destaca que entre as intervenções está a revitalização dos ramais ferroviários, bem como reforma de berços, reformas dos antigos galpões do centro de Vitória, recuperação de plataformas e adequações para diversificar os tipos de carga transportadas.

“Há ainda a recuperação dos armazéns/silos horizontais e o desenvolvimento de um projeto executivo de solução logística para um novo acesso rodoviário à Capuaba”, afirma Ilson Hulle.

Segundo ele, a previsão é de que até 1.000 empregos diretos e indiretos sejam criados para as obras, que já estão em andamento. A captação é feita por parceiros e prestadores de serviço, e não pela Vports.

Ele também destacou que a nova sede do Museu Vale será instalada no Armazém 4 e no prédio anexo do Porto de Vitória, no Centro da capital.  O galpão e o prédio anexo, que terão área total de 3.400 metros quadrados, ficam próximos ao Palácio Anchieta e vão passar por reformas e adequações para receber o museu.

A Vports também apresenta na Intermodal os bons resultados do primeiro ano de gestão privada do porto. Sete novos contratos foram assinados no período – o sétimo deles, na última semana de fevereiro, com a FTSpar, grupo paranaense que assumirá uma área de mais de 22 mil metros quadrados no Porto, com foco na movimentação e armazenagem de granéis sólidos.

Além disso, a Vports fechou 2023 com 7,3 milhões de toneladas movimentadas. No segundo semestre do ano passado, a movimentação registrou crescimento de 15% em relação ao mesmo período do ano anterior. Nos segmentos em que novos contratos foram fechados, como o de automóveis, malte e offshore, o incremento de carga ficou entre 55% e 150%.

Reformas de estrutura ferroviária até setembro

Segundo o diretor-presidente da Vports, Ilson Hulle, as obras das reformas da estrutura ferroviária na área interna de Capuaba devem ser concluídas em setembro.

“A previsão é que as obras estejam concluídas em setembro deste ano. No primeiro momento, a nova estrutura ferroviária – que estará ligada à Estrada de Ferro Vitória a Minas (EFVM) e à Ferrovia Centro-Atlântica (FCA), atendendo a regiões em Minas Gerais e Goiás – será utilizada especialmente para movimentação de fertilizantes e farelo de soja, com maior capacidade, eficiência e agilidade”, afirma.

Hulle destaca que a fase 2 do projeto contemplará outros granéis sólidos e há ainda um estudo para que seja possível realizar captura de combustíveis sólidos até 2029.

“O projeto é um passo importante dentro do propósito da nova gestão do porto de investir em aumento da capacidade, diversificação de cargas e novas áreas de exploração portuária”, disse.

Além da obra de revitalização dos ramais ferroviários, já foram feitas reforma de berços e dos antigos galpões do centro de Vitória, recuperação de plataformas e adequações para diversificar os tipos de carga transportadas.

Outras obras serão a recuperação dos armazéns/silos horizontais e o desenvolvimento de projeto executivo de solução logística para um novo acesso rodoviário à Capuaba.

“Nosso objetivo é trabalhar para garantir novas oportunidades de desenvolvimento para o Espírito Santo e o País, a partir dos investimentos em infraestrutura e inovação”, enfatizou Hulle.

MATÉRIAS RELACIONADAS:

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: