X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Economia

Governo Federal vai criar portal para facilitar empréstimo

Caixa Econômica deve criar sistema no qual quem tem carteira assinada escolherá o banco em que prefere pegar o consignado


Imagem ilustrativa da imagem Governo Federal vai criar portal para facilitar empréstimo
Dinheiro na mão: plataforma vai trazer ranking de taxas cobradas pelos bancos, além dos prazos para pagamento |  Foto: Divulgação

O governo federal pretende reformular o modelo de concessão de crédito consignado, quando há desconto automático na folha de pagamento, para os trabalhadores do setor privado.

Esse segmento, hoje, tem a menor fatia da modalidade de crédito para a pessoa física que tem a menor taxa de juros, por conta da segurança da operação.

Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), a medida pode facilitar o empréstimo consignado a 850 mil pessoas no Estado.

O projeto, que está sendo desenvolvido pelos ministérios da Fazenda e do Trabalho e a Caixa Econômica Federal, prevê a criação de um portal, no qual os trabalhadores com carteira assinada poderão se inscrever e escolher a instituição financeira em que desejam tomar o empréstimo, de acordo com a taxa oferecida e o prazo de pagamento oferecidos.

Atualmente, o trabalhador só pode contratar a operação com o banco no qual a empresa tem convênio. Com o novo sistema, isso vai acabar.

O economista e professor da Faculdade Capixaba de Negócios (Facan), Marcelo Loyola Fraga, explicou que o crédito consignado é um importante meio de empréstimo, pois é menos arriscado para os bancos, o que permite cobrar taxas de juros menores.

“O problema é que essas taxas não estão baixas assim atualmente, pois não há possibilidade praticamente do trabalhador negociar, uma vez que os bancos negociam diretamente com os empregadores por meio de convênios. É preciso que haja maior regulamentação e controle do governo”.

O advogado Josmar de Souza Pagotto, doutorando em Direito, alertou que o empréstimo consignado se trata basicamente de uma dívida garantida pelo salário, com baixo risco de inadimplência.

Já na segunda fase do projeto do governo federal, será possível fazer a portabilidade. Ou seja, migrar o empréstimo para outro banco com taxa menor. As linhas gerais do projeto já foram apresentadas a representantes do setor financeiro, que aprovaram a medida. “Essa portabilidade será importante por reduzir custos para o consumidor”, disse o economista Ricardo Paixão.

Canal único

Ranking

A plataforma que está sendo desenvolvida pelo governo federal vai trazer o ranking das taxas cobradas pelos bancos. Como já funciona com o FGTS digital, haverá um link com o e-Social, administrado pela Caixa, que permitirá a todos os trabalhadores – inclusive os domésticos – contratarem consignado diretamente dessa plataforma, sem a necessidade da empresa ter convênio firmado com o banco.

Os empregadores poderão incluir na guia de recolhimento do e-Social o valor da parcela, descontado do contracheque, e o sistema fará a transferência automática para os bancos credores.

Portabilidade na mira

Na segunda fase do projeto, será possível fazer a portabilidade, ou seja, migrar o empréstimo para outro banco com taxa menor.

Uma das ideias defendidas é que o trabalhador possa acessar a plataforma pelo site do governo, o Gov.br.

A plataforma valerá para todas as empresas e empregados celetistas, mas deve beneficiar, por exemplo, trabalhadores de pequenos e médios negócios.

MATÉRIAS RELACIONADAS:

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: