X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Deputado do ES defende abertura de CPI e que Eco101 devolva dinheiro de pedágio

Eco101 anunciou na sexta-feira (15) que vai deixar a concessão da rodovia

Leone Oliveira | 18/07/2022 13:41 h | Atualizado em 18/07/2022, 17:10

Praça do pedágio na BR-101
Praça do pedágio na BR-101 |  Foto: Wilton Junior
 

O deputado federal Da Vitória (PP) defende que a Eco101 indenize os capixabas por deixar a concessão da BR-101 antes do término do contrato de administração da rodovia. O integrante da bancada capixaba na Câmara dos Deputados ainda informou que vai recolher assinaturas para a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar a desistência da empresa.

A Eco101 anunciou na sexta-feira (15) que vai deixar a administração do trecho da BR-101, que corta todo o Espírito Santo até a cidade de Mucuri, na Bahia, após nove anos de contrato de concessão. O vínculo tinha duração de 25 anos. 

Em nota, a empresa informou protocolou um pedido de "extinção amigável do Contrato de Concessão da BR 101/ES/BA e a celebração de um Termo Aditivo com novas condições contratuais até a nova licitação do empreendimento" junto à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

Entre os motivos alegados pela empresa para deixar a concessão estão a complexidade do contrato, dificuldade para obter licenças ambientais para obras e alteração do contrato por parte do Tribunal de Contas da União (TCU).

Segundo a Eco101, a concessionária manteria os serviços até a escolha da nova empresa que vai administrar o trecho da rodovia

Da Vitória publicou vídeo onde defende pagamento de indenização pela Eco101 e abertura de CPI
Da Vitória publicou vídeo onde defende pagamento de indenização pela Eco101 e abertura de CPI |  Foto: Beto Morais - 07/09/2019
 

Da Vitória, porém, publicou vídeo em seu perfil no Instagram, onde se posiciona em favor de que a empresa pague uma indenização por deixar o contrato antes do fim. 

"Desde 2014, essa empresa atua na concessão e não cumpre o seu contrato. Em 2017, como deputado estadual, já entrei com ação na justiça pelo cumprimento do contrato, que ainda não foi julgada e também representamos por algumas vezes no Ministério Público Federal (MPF) pelas vidas que perdemos no estado por conta da irresponsabilidade do não cumprimento do contrato", afirmou ele na gravação.

O parlamentar continua: "Não vamos aceitar que a empresa saia dessa forma sem cumprir o contrato ou devolver o dinheiro para os capixabas".

O deputado federal ainda informou que já tem se posicionado para recolher assinaturas de colegas na Câmara Federal para abrir uma CPI para apurar o caso. "

Responsabilizar a empresa e seus proprietários para que possam cumprir com os capixabas, que cumpriram sua parte, fazendo o pagamento do pedágio. A outra parte, que deveria ser a duplicação não foi feita. Portanto, a sua saída deve indenizar o povo capixaba", argumenta.

Leia mais: BR-101: empresários e governador do ES lamentam decisão de empresa

Outro lado

A Eco101 explicou que está solicitando a rescisão amigável do contrato de concessão para que ocorra um novo leilão do trecho e outra empresa assuma a gestão. Desta forma, até o final do processo de relicitação, a Eco101 permanecerá responsável pela operação da BR-101/ES/BA.

Quanto a valores, a empresa ressalta que o valor do pedágio é diluído ao longo dos anos de concessão. "Ou seja, a concessionária faz as obras e investimentos e esses custos são diluídos ao longo dos anos, sendo os efeitos das inexecuções descontados da tarifa".

A concessionária frisa que os valores do pedágio custeiam, além de obras executadas e que estão em execução outras despesas como atendimento médico, mecânico e assistência 24h; segurança viária e monitoramento da rodovia; manutenção e restauração da via, entre outras obras fora a duplicação.

"O valor arrecadado com o pedágio é menor ao que é investido na rodovia. Desde que assumiu a concessão, em 2013, a Eco101 investiu R$2,3 bilhões na modernização, melhoria e ampliação da rodovia, além dos serviços operacionais, que somaram mais de 1 milhão de atendimentos até 2021. Com relação a arrecadação, foram arrecadados R$ 1,7 bilhão (Dados de maio de 2013 a março de 2022, conforme divulgado nas demonstrações financeiras auditadas e divulgadas no site da Eco101)", informou em nota.

Em relação às manifestações do deputado federal Da Vitória, a empresa disse que não vai se manifestar.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS