X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Cidades

Volta às aulas: pais devem evitar cobranças exageradas dos filhos

Dialogar e alinhar os objetivos são algumas alternativas para que pais e filhos iniciem o ano letivo de forma tranquila e assertiva


As férias estão no fim e começa a ansiedade para o início das aulas e o período letivo, tanto para crianças e adolescentes quanto para os pais. 

Mas segundo psicólogos, terapeutas e especialistas em Educação, os responsáveis precisam trabalhar suas próprias expectativas e ansiedades para não haver cobranças exageradas, que atrapalham na adaptação das crianças e adolescentes no retorno aos estudos.  

“Os pais devem ficar muito atentos ao aproveitamento do tempo para que o filho seja um aluno tão bom quanto ele possa. Isso é diferente de ser o melhor aluno da sala. Outro cuidado é que os pais devem evitar cobranças exageradas. A escola é muito importante, mas vida é mais que a escola. Então, cobranças demasiadas, falação e xingamentos podem atrapalhar o emocional dele”, alerta o psicopedagogo e terapeuta familiar Cláudio Miranda, colunista de A Tribuna

 

Imagem ilustrativa da imagem Volta às aulas: pais devem evitar cobranças exageradas dos filhos
Cláudio Miranda explica que a escola é algo muito importante, mas vida vai além da escola: “Falação atrapalha” |  Foto: Kadidja Fernandes/AT

Para a psicóloga Rosiane Amaral, os pais devem ficar atentos para não exigir demais e atrapalhar a retomada da rotina de volta às aulas. 

“Para evitar esses atropelos é importante que os pais tenham empatia com os filhos entendendo que, além de voltar à rotina, mais um ano começa, e os filhos também terão que enfrentar coisas novas que podem ser fáceis para eles ou não. Por isso, o diálogo de qualidade em que  os filhos são ouvidos e acolhidos sempre será a melhor opção”.

A atenção dos pais deve se ater nas suas próprias expectativas, pois, em alguns casos, as expectativas dos pais são diferentes dos filhos e isso pode acarretar em dificuldades no processo de adaptação à nova rotina escolar, como destaca o  doutorando em Educação Rayner Raulino, coordenador de Pedagogia do Unesc. “Por isso, sempre entenda quais são os seus próprios receios e quais são os receios de seus filhos”.

Uma forma de diminuir a ansiedade e as cobranças, segundo a mestre em Educação e Psicopedagogia Ana Maria Gentil, professora de Pedagogia da Faep, é dialogar de acordo com a idade dos filhos.

“Para as famílias de crianças torna-se necessário preparar mochilas, materiais com as crianças, conversando com elas sobre o retorno de forma clara. Para adolescentes e jovens, as famílias podem ajudar dialogando antes, durante e depois do início das aulas, afirmando  a confiança e reconhecendo  a possibilidade de planejarem e retornarem de forma mais independente”.

Leia mais: 

Atenção na volta às aulas deve ser maior com os ladrões do tempo

Controle de celular e tempo livre dos filhos são desafios na volta às aulas

A Tribuna nas Escolas vai mostrar bons exemplos na Educação

Rotina no retorno ao estudo

Famílias e escolas precisam ser parceiras durante todo o ano letivo e essa parceria pode começar com ajuda para montar uma rotina de estudos que auxilia  não só a criança e o adolescente, mas toda a família. Além disso prepara o acolhimento para tornar a volta às aulas em um momento prazeroso.

“As escolas podem ajudar as famílias nesse momento acolhendo os estudantes nesse retorno, favorecendo a socialização entre colegas e professores e mantendo uma comunicação constante com os pais e responsáveis para traçar planos de ação para ajustar a rotina”, observa o educador Jefferson Nunes de Mello, diretor de ensino da Escola Vereda. 

E continua: “É importante que nessa organização o estudante perceba que existem momentos de dedicação aos estudos e momentos de descontração e atividades do gosto do estudante”.

No retorno às aulas, educandos e responsáveis ficam ansiosos e inseguros por inúmeros motivos, é o que observa o  doutorando em Educação Rayner Raulino, coordenador de Pedagogia do Unesc.

“Por isso, há a necessidade de que todos se sintam acolhidos. Outro desafio está na recuperação das aprendizagens dos educandos após o período de férias. Portanto, a escola precisa ser um ambiente acolhedor, assim, para desenvolver este acolhimento nos processos educativos os professores precisam utilizar de movimentos que garantam a avaliação diagnóstica, movimentos de ambientações e socializações”.

Leia mais: 

Direitos dos pais na compra de material escolar

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: