X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Regional

Mais de 300 câmeras para ampliar segurança em Piúma

O investimento em equipamentos, que incluem também gravadores e nobreaks, é de aproximadamente R$ 400 mil


Imagem ilustrativa da imagem Mais de 300 câmeras para ampliar segurança em Piúma
Funcionário instala câmera em um poste de Piúma: falta agora contratar agentes de monitoramento |  Foto: Divulgação/Prefeitura de Piúma

Mais de 300 câmeras foram instaladas em prédios públicos, postes e pontos estratégicos em Piúma, litoral Sul do Estado, com objetivo de reduzir a criminalidade, aumentando a segurança do município.

A instalação começou no ano passado e terminou no segundo semestre deste ano. Foram 22 câmeras de videomonitoramento do tipo speed dome, e outras quase 300 de vigilância instaladas nos prédios públicos, como escolas, postos de saúde, arquivo e hospital.

“O primeiro efeito do videomonitoramento é pedagógico. Como policial, posso falar com propriedade sobre esse aspecto de sensação de segurança”, explica o prefeito Paulo Cola.

“Medimos a sensação de segurança pela pessoa que vive naquele ambiente, se a população está tranquila ou não. Porque tem situações em que a região não possui histórico de crime contra o patrimônio, mas as pessoas vivem com o temor de serem roubadas ou furtadas a qualquer momento”.

MATÉRIAS RELACIONADAS:

Investimento

O investimento em equipamentos, como câmeras, gravadores, nobreaks, braços e serviços de instalação, é de aproximadamente R$ 400 mil, e o próximo passo agora é contratar agentes que possam acompanhar as imagens 24 horas.

“Atualmente ninguém monitora 24 horas, mas temos acesso a tudo. Quando há evento, ficamos atentos às movimentações. A Defesa Civil e a Secretaria de Meio Ambiente também têm acesso para fazer a segurança ambiental, e todas as imagens ficam à disposição das polícias. Mas o próximo passo é contratar agente de monitoramento e sistema de leitura de placas de veículos e leitura de face das pessoas”, completa o prefeito.

Cola esclarece ainda que segurança pública não se faz somente com polícia. “É preciso ter uma ocupação dos espaços públicos com serviços, iluminação pública adequada, limpeza e humanização dos espaços, para que prevaleça nesses ambientes a sensação de segurança”.

“Com todo esse trabalho, passamos a inibir possíveis ações criminosas e facilitar a identificação de indivíduos que possam cometer delitos”, finaliza ele.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: