X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Justiça decreta prisão preventiva de motorista que arrastou e matou cachorro

| 14/10/2020 18:15 h | Atualizado em 14/10/2020, 18:38

Caso de maus-tratos foi flagrado por câmeras de segurança em Jaguaré.
Caso de maus-tratos foi flagrado por câmeras de segurança em Jaguaré. |  Foto: Reprodução/Vídeo

O motorista que arrastou um cachorro até a morte pelas ruas em Jaguaré, no Norte do Estado, vai continuar preso. A Justiça converteu a prisão em flagrante do suspeito em preventiva na tarde desta quarta-feira (14), após pedido do Ministério Público Estadual (MPES). 

Com a decisão, assinada pelo juiz Leandro Cunha Bernardes da Silveira, o acusado vai seguir preso no Centro de Detenção Provisória (CDP) de São Mateus, para onde foi levado na terça-feira (13), após se apresentar na Delegacia de São Mateus. 

No pedido de conversão da prisão, o MPES argumentou que existia a necessidade de custódia cautelar "pelo risco à ordem pública e a aplicação da lei penal, diante do relato de tentativa de fuga do flagranteado, logo após a prática do crime e do abandono do veículo utilizado no crime".

Outras justificativas apresentadas pelo órgão ministerial foi "restar claro o risco concreto a ordem pública, especialmente periculosidade em concreto do conduzido, tendo em vista a forma cruel como agiu com um animal que sofreu maus tratos até a sua morte" e sustentou também ser necessária "para que seja evitada a reiteração criminosa porque o próprio autuado afirmou que decidiu por livre e espontânea vontade matar o cachorro".

A defesa do acusado, por sua vez, que o suspeito é primário, de bons antecedentes, tendo residência fixa e tem emprego. Além disso, frisou que a prisão tem caráter excepcional.

No entanto, o magistrado decidiu converter a prisão em flagrante em preventiva para  garantir a ordem pública e regular instrução processual. "Tenho que a soltura do custodiado poderá colocar em risco a segurança social, haja vista a real possibilidade de reiteração delitiva, além do que está presente a periculosidade concreta de sua conduta, bem como, visando garantir a instrução processual e a aplicação da Lei Penal", justificou o juiz. 

O magistrado ainda destacou que "a conduta imputada ao Autuado demonstra-se, para dizer o mínimo, intoleravelmente cruel, chocante e abjeta". 

A presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Maus-Tratos Contra os Animais, da Assembleia Legislativa do Estado (Ales), deputada Janete de Sá, vai pedir ao Ministério Público Estadual (MPES) que faça a apreensão do passaporte de acusado para evitar que ele deixe o País, caso seja colocado em liberdade por conta de recurso.

Crime

O crime ocorreu na noite de segunda-feira (12). O animal foi amarrado ao para-choque do veículo Honda HR-V Touring prata e abandonado morto em uma calçada. Câmeras flagraram a ação do suspeito.

O veículo foi encontrado estacionado numa rua da cidade, na manhã de terça (13). O acusado se entregou à polícia, foi preso e encaminhado para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de São Mateus.

O delegado Leonardo Malacarne disse que o acusado confessou o crime e alegou ter matado o animal por achar que ele estava sofrendo de fome.
 

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS