X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Cidades

“É uma grande salvação!”, diz palestina ao chegar ao Estado

Mariam Yasin desembarcou em Vitória com oito netos. Eles fugiram do Norte de Gaza, após explosão e se mudaram 4 vezes até conseguir embarcar


Imagem ilustrativa da imagem “É uma grande salvação!”, diz palestina ao chegar ao Estado
Mariam veio de Gaza junto com 8 netos com idades entre 5 e 18 anos |  Foto: Leone Iglesias/AT

A alegria da palestina Mariam Yasin, 65 anos, era visível ao desembarcar com os oito netos no Aeroporto de Vitória: “É uma grande salvação!”, diz. Ela pôde rever o filho, a nora e o neto que nasceu no Espírito Santo. Dias antes, eles haviam deixado a Faixa de Gaza, onde Israel e o Hamas iniciaram a guerra, no dia 7 de outubro.

Mas a felicidade nunca é completa, destaca Mariam, quando parte de sua família ainda está na área do conflito. A tristeza também é grande pelas olivas que cultivava há 60 anos, desde que tinha apenas 5, e também teve que abandonar, com toda sua história.

“Estava cuidando dessas árvores durante 60 anos. Cuidava muito bem, tinha intenção de deixar para meus filhos. E agora, imagine comigo se você está cuidando de uma coisa durante 60 anos e depois você perde. O que você vai sentir? Eu estou sentindo muito por causa disso também”, conta Mariam Yasin.

Sobre como ficou sua casa, Mariam diz que tem poucas certezas. Foi obrigada a abandonar o local, no Norte de Gaza, há cerca de três meses. “Houve uma explosão na região, duas casas foram destruídas. Não tem nada. A terra foi desfeita e ninguém sabe exatamente o que aconteceu, porque não é possível que alguém chegue. Nós não entramos há três meses na porta da nossa casa”, conta.

Imagem ilustrativa da imagem “É uma grande salvação!”, diz palestina ao chegar ao Estado
Chegada da família em Vitória |  Foto: Leone Iglesias/AT

Os palestinos não falam português e a reportagem teve a ajuda do sheikh Mohammed Barakat para conversar com eles. “Ela não tem notícia ou confirmação 100% do que aconteceu lá, mas que ela sabia, ficou sabendo agora, que foi destruída uma parte da casa deles. E a terrinha deles, até tem plantas, tem azeitona lá, tudo já foi perdido, já estragou tudo. E tiveram vários pertences roubados deles, mas infelizmente durante três meses eles não sabem nada, porque fugiram”.

Mariam contou que até a passagem de Rafah, no sul de Gaza, onde fica a fronteira com a Península do Sinai, no Egito, estava muito perigoso. Por isso, ela e os netos precisaram fazer quatro mudanças de casas até chegar, em paz, na casa do Itamaraty. No Cairo, embarcaram em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB), com destino a Brasília. Eles chegaram a Vitória na sexta-feira (15), às 17h, em um avião da FAB.

MATÉRIAS RELACIONADAS:

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: