search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Sinuca
Painel da Folha de São Paulo

Sinuca

Pivô da crise entre Sergio Moro e Jair Bolsonaro, a Polícia Federal se encontra em uma situação delicada. Com a responsabilidade de apurar as acusações do ex-ministro da Justiça, a PF se vê em risco de ser acusada de abafar eventuais crimes cometidos pelo presidente da República, de um lado, ou de agir em represália às interferências no órgão.
Internamente, o plano é tentar esgotar todas as linhas de investigação para minimizar as críticas que surgirão, seja qual for o desfecho.

Bandeira
Além do inquérito em questão, a PF vê desde então uma polarização generalizada. O órgão tem ouvido acusações, principalmente de alvos, de ter feito as últimas operações para agradar ou para enfrentar o Presidente.

Regra
Apesar de não haver jurisprudência consolidada, investigadores entendem não haver vedação legal para indiciar o Presidente, se a conclusão for de que Bolsonaro cometeu crime. Em 2007, o STF decretou a nulidade de ato de indiciamento.

Histórico
Na mais recente decisão, em outubro de 2018, Luís Roberto Barroso indeferiu pedido de anulação do indiciamento de Michel Temer.

Ação
O PT lançou na tarde de ontem vídeos em campanha pelo impeachment de Bolsonaro, usando trechos da reunião do dia 22 de abril. A sigla aderiu ao movimento pela saída do Presidente após pressão interna.

Voltas
As peças afirmam que o Brasil vive a pior crise da história, com 23 mil mortos pelo coronavírus, “mas o Presidente quer é guerra civil”. E é encerrado com a afirmação de que “ainda dá tempo de salvar vidas e o País” e “fora Bolsonaro”.

Sumido
A identidade do haitiano que afirmou há alguns meses para Bolsonaro que seu governo havia acabado permanece misteriosa. Em frente ao Palácio da Alvorada, o homem sentenciou: “Bolsonaro, acabou”. “Você não é presidente mais. Precisa desistir. Você está espalhando o vírus e vai matar os brasileiros!”, disse. O vídeo viralizou nas redes.

CPF
O Painel procurou a Embaixada do Haiti, que disse não saber quem é o rapaz. Bolsonaro chegou a dizer que o homem tinha ido à Câmara e se identificado como presidente do Brasil. A Casa, no entanto, afirmou que o acesso ao local estava restrito e, portanto, não teria como o haitiano ter estado no prédio.

Prioridade
Na reunião ministerial do governo, os participantes praticamente não falaram da crise do coronavírus. Termos como doença (10 vezes), coronavírus (8), Covid (7) e pandemia (4) foram utilizados para tratar brevemente do tema ao longo de duas horas.

Gráfico
Levantamento feito pela Folha mostrou que só o presidente Bolsonaro disse 33 palavrões no encontro. Ao todo, foram 41, número maior do que as 29 menções à crise que já matou mais de 22 mil pessoas no Brasil.

Distância
Secretários estaduais de Saúde manifestaram espanto com o conteúdo da reunião. Um deles disse ter sentido náuseas ao assistir ao vídeo e afirmou que eles não têm coração e não sabem o que é uma UTI cheia de entubados.

Parceria
O Brasil concluiu ontem as negociações com a Tailândia para a venda de carne bovina brasileira, um mercado potencial de US$ 140 milhões por ano.

Timing
A abertura ocorre em meio à crise do coronavírus, que colocou os países em alerta no abastecimento de alimentos, com alguns produtores controlando a venda de produtos ao exterior. A Rússia, por exemplo, interrompeu a exportação de trigo.

Afaste-se
O Psol, por meio do deputado federal Ivan Valente (PT), acionou a Procuradoria-Geral da República e a Comissão de Ética da Presidência para que Ricardo Salles seja afastado do cargo de ministro do Meio Ambiente. O motivo são as declarações dadas por Salles na reunião ministerial.

Compareça
A bancada do partido, em outro ato, protocolou ontem um requerimento de convocação do novo advogado-geral da União, José Levi, para que ele preste esclarecimento sobre posicionamentos do órgão em processos na Justiça.

Tiroteio
“Tem gente falando 'general Heleno, chegou a hora'. Hora de quê? De pijama, de sentar na praça, de dar milho para os pombos.”
De Tiago Pavinatto, advogado e membro do MBL, sobre a reação de bolsonaristas à nota em tom ameaçador publicada pelo chefe do GSI (Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República).

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Financiamento

Levantamento da consultoria Quaest estima que 12 canais bolsonaristas de YouTube, investigados no STF no inquérito dos atos antidemocráticos, faturaram ao menos R$ 647 mil nos últimos três meses com …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Hora extra

Um acordo firmado pela Defensoria Pública com o governo, sobre o auxílio emergencial, causou discórdia dentro da instituição. Criado como uma ferramenta de contato direto com o Ministério da …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Não contabilizado

A Polícia Federal indiciou o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB) por crime eleitoral de omissão na sua prestação de contas em 2018, em esquema de candidatas laranjas. De acordo com …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

#Todoslivres

Deputados deram início nos últimos dias a uma articulação para afrouxar regras na proposta que antecipa a execução da condenação para a segunda instância. Segundo o deputado Fábio Trad (PSD-MS), …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Raiva digital

Coordenador-geral de Gestão de Projetos de Saúde Digital do Ministério da Saúde desde março, o médico e militar da reserva Allan Quadros Garcês tem atacado agressivamente o Supremo Tribunal Federal …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Teia

Os problemas de Frederick Wassef com o Ministério Público do Rio podem ir além de Fabrício Queiroz. A operação Anjo e suas declarações recentes levantaram suspeita sobre se o advogado ligado à …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Divã

As conversas de auxiliares do governo com ministros do Supremo Tribunal Federal pela pacificação começaram depois de Jair Bolsonaro ser convencido de que era momento de fazer uma autocrítica e agir …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Bic antissocial

Jair Bolsonaro foi o presidente que, desde José Sarney, menos tratou de benefícios sociais em decretos publicados nos primeiros 18 meses de mandato. O levantamento, feito pelo grupo PEX-Network, da …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Teoria da relatividade

No parecer que embasou a decisão de Jair Bolsonaro de tratar academias e salões de beleza como serviços indispensáveis e que devem reabrir, a despeito da pandemia, a secretaria geral da Presidência …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Bandeira branca

O governo Bolsonaro fez, em um só dia, ao menos cinco gestos de paz, feito inédito neste um ano e meio. Foram três atos do Presidente: discurso conciliador ao lado de Dias Toffoli, escolha na …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados