search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Servidor tem maior renda, aponta Receita Federal

Notícias

Publicidade | Anuncie

Economia

Servidor tem maior renda, aponta Receita Federal


 (Foto: Daniel Isaia/Agência Brasil)
(Foto: Daniel Isaia/Agência Brasil)

No topo do ranking das ocupações com maior rendimento no País estão os servidores públicos. A informação tem como base dados da Receita Federal, considerando os 30,2 milhões de brasileiros que fizeram declaração do Imposto de Renda no ano passado.

Para titular de cartório, por exemplo, a renda média mensal foi de R$ 103.141,14; membro do Ministério Público (R$ 53.493,48), membro do Poder Judiciário e do Tribunal de Contas (R$ 51.773,10) ; diplomata e afins (R$ 39.571,66); e advogado do setor público e consultor jurídico (R$ 30.884,91).

Lembrando que salário vem da remuneração do trabalho. Já renda vai além, inclui salário e outros tipos de rendimento, como com aluguel de imóveis e aplicações financeiras, por exemplo.

 (Foto: Reprodução/ Jornal A Tribuna)
(Foto: Reprodução/ Jornal A Tribuna)
Para o CEO da Heach, Élcio Paulo Teixeira, a aposta em concurso público depende muito do perfil do candidato. Embora a principal função do servidor público seja servir a sociedade, ele lembrou que “muitos optam pela carreira em busca de estabilidade, segurança e melhores salários”.

Eles explicou que no Brasil, diferente dos países desenvolvidos do mundo, muitos cargos públicos oferecem salários acima da rede privada. “Além disso, aqui tem estabilidade. Muitos países não oferecem isso. Pagam com base em produtividade”, diferenciou.

A estabilidade é oferecida para dar segurança ao servidor, para que ele desempenhe seu papel sem medo ou receio de perder o trabalho. Principalmente quando precisa desempenhar atividades como multar empresas, por exemplo.

Pós-doutor em Contabilidade e professor da Fucape, Fernando Caio Galdi apontou que quem pagou a conta da pandemia no Brasil foi o setor privado.

“Pessoas foram demitidas, outras tiveram o salário reduzido, inclusive aprovado pelo Congresso, teve uma medida provisória, depois uma lei que permitiu que as empresas reduzissem os salários. Isso foi feito para salvar emprego. Foi uma boa medida. Por que não foi feito o mesmo no setor público?”.

Veja mais:

Vinte profissões com o melhor salário no Estado

Entrar no grupo do WhatsApp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna Online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados