search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Secretários da Saúde assinam carta de repúdio contra Bolsonaro
Plenário
Fabiana Tostes

Fabiana Tostes


Secretários da Saúde assinam carta de repúdio contra Bolsonaro

Os secretários estaduais de Saúde de todo o País assinaram uma carta de repúdio contra o pronunciamento em cadeia nacional do presidente Jair Bolsonaro sobre a pandemia de coronavírus. Na noite de ontem (24), o Presidente criticou medidas tomadas por governadores, como o isolamento social e o fechamento de escolas – chamando a postura dos gestores de discurso de “terra arrasada” –, ironizou o médico Dráuzio Varella, atacou a cobertura da imprensa e disse ainda que se pegasse coronavírus seria apenas uma “gripezinha” ou um “resfriadinho”.

“Já temos dificuldades demais para enfrentar. Não podemos permitir o dissenso e a dubiedade de condução do enfrentamento à Covid-19. Assim, é preciso que seja reparado o que nos parece ser um grave erro do Presidente da República. Ao invés de desfazer todo o esforço e sacrifício que temos feito junto com o povo brasileiro, negando todas as recomendações tecnicamente embasadas e defendidas, inclusive, pelo seu Ministério da Saúde, deveríamos ver o Presidente da República liderando a luta, contribuindo para este esforço e conduzindo a nação para onde se espera de seu principal governante: um lugar seguro para se viver, com saúde e bem-estar”.

Na carta, os secretários reconhecem os desafios na área econômica que estão por vir, mas enfatiza que vidas podem ser perdidas com a desmobilização da sociedade que o discurso do Presidente possa causar.

“Temos plena consciência de que o Brasil e o mundo irão enfrentar uma grave recessão econômica, aprofundamento das desigualdades sociais e empobrecimento. A economia, com trabalho, disciplina, organização e espírito público, se recuperará. Seremos solidários e trabalharemos sem descanso para permitir uma rápida recuperação da nossa economia. Mas é preciso que se entenda, vidas perdidas, não serão recuperadas jamais”.

Os secretários ficaram estarrecidos com o discurso do Presidente que, nos bastidores, teria pego muitos ministros do governo de surpresa. Ontem, em sua página do Twitter, o governador Renato Casagrande (PSB) também criticou a fala do Presidente, junto com outros políticos capixabas. Hoje (25) está marcada uma reunião por teleconferência entre Bolsonaro e os governadores da região Sudeste.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados