X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Política

Lula diz não ter pressa para escolha do STF e que gênero e cor não são critérios

Presidente também precisa indicar um novo PGR. Mandato de Augusto Aras termina nesta terça-feira (26)


Imagem ilustrativa da imagem Lula diz não ter pressa para escolha do STF e que gênero e cor não são critérios
Lula nesta segunda-feira (25), no Palácio do Itamaraty |  Foto: Ricardo Stuckert / PR

O presidente Lula (PT) afirmou nesta segunda-feira (25) que não tem pressa para a escolha de novo PGR (Procurador-Geral da República) e de sucessor da ministra Rosa Weber no STF (Supremo Tribunal Federal).

O mandato de Augusto Aras termina nesta terça-feira (26). "Eu não tenho pressa. Não existe nenhuma vinculação com a minha cirurgia. A minha cirurgia é apenas para cuidar da saúde", afirmou a jornalistas no Itamaraty.

O presidente vai realizar uma cirurgia no fêmur na próxima sexta (29).

O chefe do Executivo disse ainda que gênero e cor não são critérios para escolha da vaga do Supremo, como tem sido pressionado a escolher nesse sentido.

Mais cedo, o ministro Alexandre Padilha (Relações Institucionais) defendeu que Lula tenha calma e tranquilidade para escolher o novo procurador-geral da República. Se o chefe do Executivo não indicar um novo nome até esta terça, assumirá interinamente Elizeta Maria de Paiva Ramos, vice-presidente do Conselho Superior do Ministério Público Federal.

Para Padilha, isso não seria um problema. "Encerra atual mandato do procurador-geral da República nesta semana, [mas] o Brasil já teve outras situações de interinidade no cargo. O presidente tem que ter calma, tranquilidade. Defendi junto ao presidente que ele não tem que ter qualquer tipo de exigência em relação a esse calendário de definição de nome", afirmou a jornalistas no Palácio do Planalto.

Já Rosa Weber, que completará 75 anos em 2 de outubro, deixará o Supremo compulsoriamente.

MATÉRIAS RELACIONADAS:

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: