X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Assine A Tribuna
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Política

Capixabas Do Val e Gilvan entram em conflito no Senado

Vídeo sem áudio mostrando confusão entre deputado e senador durante sessão foi publicado nas redes sociais


Imagem ilustrativa da imagem Capixabas Do Val e Gilvan entram em conflito no Senado
Gilvan e Do Val se desentenderam na Comissão de Constituição e Justiça do Senado nesta quarta |  Foto: Divulgação / Câmara dos Deputados e Jefferson Rudy / Agência Senado

O deputado federal Gilvan da Federal (PL) e o senador Marcos Do Val (Podemos), ambos representantes do Espírito Santo no Congresso Nacional, se envolveram nesta quarta-feira (19) em uma discussão. O embate entre os dois aconteceu na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado.

Em vídeo - sem áudio - publicado nas redes sociais, é possível ver os dois se encarando e proferindo palavras um ao outro. De acordo com Gilvan, o senador tentou ofendê-lo.

Leia mais sobre Política

“Estive hoje na CCJ do Senado e o senador, o mesmo que disse que 'Bolsonaro o chamou para dar um golpe' e que 'detestava ser chamado de senador bolsonarista' veio tentar ofender a mim e ao senador Magno Malta. Mexeu com o cara errado, 'Swat da Shopee'. Não recuo para traidor”, afirmou.

Minutos depois, também nas redes sociais, a conta oficial do senador Do Val postou um posicionamento, usando o mesmo vídeo como base.

“Não é novidade que o deputado Gilvan tem sido uma figura bastante polêmica na Câmara dos Deputados, devido ao seu desequilíbrio e o comportamento agressivo e desrespeitoso. O deputado vem se envolvendo em uma série de conflitos e discussões acaloradas, causando desconforto tanto nas comissões quanto no Plenário”, ressaltou o senador.

Do Val acusou Gilvan de estar enviando xingamentos a ele por meio de mensagens privadas, além de que Gilvan estaria fazendo diversas provocações direcionadas a ele.

“Durante uma discussão com Marcos do Val, o senador perdeu a paciência e resolveu confrontá-lo, perguntando se o deputado teria coragem de repetir os xingamentos que tem feito, inclusive por mensagens privadas. 'Encosta em mim se você tiver coragem e fale na minha cara o que você tem dito nas redes sociais, seu covarde. Retire-se do Senado agora'”, diz o texto postado na conta oficial do senador.

Apesar da discussão, os dois foram separados e a sessão continuou normalmente, sem demais ocorrências.

Em dezembro do ano passado, Gilvan também se envolveu em outra confusão. Na ocasião, com o ex-vice-presidente da República, Hamilton Mourão (Republicanos-RS), atualmente senador.

Para Mourão, Gilvan chegou a indagar se o ex-vice-presidente achava que ele tinha medo “só porque ele era General”.

Empurrão após grito pró-maconha

Além da confusão com o senador Marcos do Val, o deputado Gilvan também entrou em conflito nesta quarta-feira (19) com um homem que gritou “Viva maconha” dentro da Câmara.

O grito foi dado durante sessão da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados, logo após o deputado Éder Mauro criticar a presença de membros da União Nacional dos Estudantes (UNE), relacionando-os ao ativismo a favor da droga.

Gilvan questionou quem seria o autor da frase e foi em direção a um homem que estava acompanhando a sessão. “O senhor está com maconha aqui?” questionou Gilvan, pedindo em seguida que um policial revistasse o homem.

Ao ser abordado pelo deputado, o espectador tocou na bandeira do Brasil que o parlamentar carrega no ombro. Gilvan reagiu empurrando o homem, que acabou sendo conduzido ao Departamento de Polícia Legislativa, onde prestou queixa e foi liberado.

MATÉRIAS RELACIONADAS:

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: