Login

Atualize seus dados

Treinador de futebol é indiciado por estupro de adolescente

23/09/2021 17:50:00 min. de leitura

Imagem ilustrativa da imagem Treinador de futebol é indiciado por estupro de adolescente

Um treinador de uma escolinha de futebol, de 47 anos, foi indiciado pela Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) por estupro de vulnerável. Ele é suspeito de ter drogado e abusado sexualmente de um menino de 14 anos, que era aluno dele

Segundo o delegado adjunto da DPCA, Diego Bermond, as investigações começaram na última segunda-feira (20), após a equipe receber a denúncia da Polícia Militar. 

O delegado relatou que no sábado (18) pela manhã, o indiciado teria pedido que a vítima fosse até a casa dele sob o pretexto de fazer uma massagem nesse adolescente e que teria entregue a ele um relaxante muscular.

"Começamos a investigação e conseguimos constatar que esse treinador teria recebido três adolescentes do estado da Bahia e estaria mantendo eles em um alojamento. No último sábado (18), esse treinador teria dado um comprimido para esse adolescente e ele teria apagado às 10 horas de sábado e acordado apenas no domingo (19), às 7 horas,  de cueca e sentindo dores nas partes íntimas", disse o delegado.

No domingo, a vítima foi levada de volta ao alojamento, que fica em Vila Velha, o bairro não será informado para preservar os adolescentes. No local, o garoto relatou aos colegas que sentia dores nas partes íntimas e acionaram a Polícia Militar. O Conselho Tutelar também foi acionado. 

"De acordo com o relatório de atendimento que nós fizemos dessa vítima na delegacia, ele teria sofrido ameaças. Se ele contasse alguma coisa, algo de ruim poderia acontecer com ele", explicou o delegado.

A vítima foi encaminhada para exames e o treinador foi ouvido pela polícia. Em depoimento, segundo Bermond, ele negou que tenha cometido o crime e disse que não dopou o adolescente. 

"Em relação ao remédio, ele falou que o adolescente teria ingerido esse remédio, que seria para dor de cabeça e que, na verdade, ele não teria entregue esse remédio ao adolescente, que o adolescente teria confundido esse medicamento com um medicamento controlado, o que acabou ocasionando essa perda de memória e de sentidos", informou o delegado.

Em entrevista a TV Tribuna/SBT, o suspeito disse que estava sendo vítima de vingança. 

Bermond revelou que o treinador já é investigado por um estupro de vulnerável com as mesmas características de um adolescente que veio de Goiás para ser treinado aqui, em 2019. "Esse indiciado teria passado as mãos nas partes íntimas desse adolescente". 

A polícia agora aguarda pelo laudo do exame toxicológico para saber qual substância foi dada ao adolescente. 

O treinador vai responder em liberdade pelo crime de estupro de vulnerável. "Esse treinador não foi preso porque essas vítimas estão seguras, em um abrigo, não constatamos requisitos legais em relação ao pedido de prisão desse indivíduo que deverá responder em liberdade".

Alerta

Segundo o delegado, o treinador alega exercer essa atividade há 30 anos, porém o clube do suspeito não possui registro. Bermond  pediu atenção aos pais. Ele orientou que os responsáveis procurem conferir com a federação de futebol se o time possui algum registro. 


Outro lado


Defesa está surpresa com indiciamento de acusado

O advogado Jeferson Araújo Nascimento, que defende o suspeito, se manifestou por meio de nota. “Embora ainda não tenha tido acesso aos termos do indiciamento, a defesa o recebe com surpresa, aguardando, contudo, o aprofundamento das investigações, quando, então, poderá provar a sua inocência”.

E completou: “O depoimento já foi prestado na esfera policial, tendo o acusado se colocado à disposição da autoridade competente para outros esclarecimentos que se fizerem necessários, salientando seu propósito de colaborar com as investigações”, afirmou.

Na última terça-feira, o acusado negou as acusações em entrevista à reportagem da TV Tribuna.

*Texto atualizado às 16h15, desta sexta-feira (24),