X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Polícia

Servidores e advogada são presos por vender benefícios em presídio no ES

Empregos, visitas íntimas e ligações extras eram comercializados


Imagem ilustrativa da imagem Servidores e advogada são presos por vender benefícios em presídio no ES
Foram cumpridos 3 mandados de prisão preventiva em face de dois servidores públicos e de uma advogada |  Foto: Divulgação / MPES

Dois servidores públicos e uma advogada foram presos nesta sexta-feira (8) em uma operação do Ministério Público do Espírito Santo investigados por vender empregos e visitas íntimas em presídio no município de Viana, que fica na Região Metropolitana de Vitória.

O esquema ilegal foi implementado por um integrante da direção da Penitenciária de Segurança Máxima 1. As investigações do MP apontaram que a venda de benefícios começaram no final de dezembro de 2022.

Os dois servidores públicos e a advogada foram presos preventivamente. Um interno, que fazia a mediação das negociações, também teve um mandado de prisão expedido.

Empregos, visitas íntimas e ligações extras eram comercializados. A venda também ocorria sob ameaças, retaliações ou imposições.

Um dos detentos chegou a pagar R$ 8 mil por uma vaga de trabalho na cozinha. Outras 30 pessoas confirmaram a denúncia feita.

Os valores eram negociados de acordo com a capacidade econômica do preso. O interno que fazia as mediações também considerava se a pessoa fazia parte ou não da mesma facção que a sua.

MATÉRIAS RELACIONADAS:

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: