X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

“Perdi tudo que juntei a vida toda”, diz aposentada de 80 anos vítima de golpe

"É uma coisa que sempre digo, que parece obra do diabo mesmo, pois eles cegam a gente", diz aposentada vítima de golpe

Kananda Natielly E Francine Spinassé, Do Jornal A Tribuna | 22/07/2022 17:42 h

Depois de perder cerca de R$ 300 mil em janeiro deste ano, uma aposentada de 80 anos ainda tenta se recuperar do golpe. “Fiquei sem conseguir dormir, comer. Estou indo a psiquiatra, tomando medicação. Perdi tudo o que juntei a vida toda trabalhando muito”.

Leia mais

A Tribuna: Como foi a abordagem dos golpistas?  

Aposentada: Eu estava passando na rua, em um local movimentado que sempre passo, quando uma mulher malvestida me parou chorando. Ela começou a contar que não era aqui da Grande Vitória, que tinha perdido o pai e que a mãe trabalhava na roça. Contou que tinha um dinheiro para receber, mas que a família era Testemunha de Jeová e que não poderia jogar.

Ela ofereceu logo o bilhete? 

Ela falava muito. Chegavam outras pessoas na hora e começavam a falar também. Um homem encostou do lado, na conversa, e começou a insistir para a gente ajudar aquela mulher.  

E não desconfiou?

Olha, é uma coisa que sempre digo, que parece obra do diabo mesmo, pois eles cegam a gente. Eu sempre fui ligada nessas coisas e sempre me perguntei  como alguém caía em algo assim. Mas quando estive nessa situação, não percebi. Fui sendo levada por toda história. 

E quanto diziam que era o valor do bilhete premiado?

Algo em torno de R$ 3 milhões. Eu nem precisava de mais dinheiro. Isso que me choca, pois eu trabalhei a vida toda para juntar aquilo que tinha no banco. 

E quando percebeu o golpe?

Eles me levaram até o banco. Eu mostrei para eles a minha conta, o saldo. Só percebi o que tinha acontecido quando o homem parou de me responder. Ele me mandou carinhas rindo por mensagem. 

E sua reação? 

Fiquei desesperada. Quase morri. Eu tirei tudo o que tinha na boca do caixa e o pior é que ninguém do banco parou para me perguntar nada. Depois de 40 anos no mesmo banco e nunca tinha tirado uma quantia alta assim. 

Ficou sabendo da prisão da quadrilha? 

Vi alguma coisa, sim. Espero que eles paguem pelo que fizeram. Não desejo o mal de ninguém, apenas a justiça. O dinheiro que perdi eles não vão me devolver, mas entreguei a Deus tudo isso. Entrei com uma ação na Justiça. Acredito em Deus que Ele não irá me desamparar.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS