X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Polícia

Mulher é morta a facadas enquanto dormia

O principal suspeito fugiu e ainda não foi encontrado


Imagem ilustrativa da imagem Mulher é morta a facadas enquanto dormia
Maria de Fátima Pereira Analio da Silva foi morta em Feu Rosa, na Serra, onde morava. |  Foto: Leone Iglesias/AT

Uma técnica de enfermagem foi morta a facadas enquanto dormia dentro de casa, na madrugada deste sábado (12), em Feu Rosa, na Serra. O principal suspeito é o marido da vítima, que fugiu e ainda não foi encontrado. 

Quem encontrou o corpo da mulher foi a filha mais velha do casal, de 17 anos, que estava acordada na hora que o crime aconteceu.

Maria de Fátima Pereira Analio da Silva era casada com o suspeito do crime há 19 anos. Eles têm três filhos, e foi a mais velha que presenciou a cena. Para os familiares a menina contou que estava no quarto dela, que fica ao lado do quarto do casal, e por volta de 1h20 escutou um barulho. Logo em seguida viu o pai saindo pela porta de casa dizendo "não fui eu". Ela correu para o quarto da mãe e encontrou a mulher caída no chão já morta. 

A irmã da vítima Delcimara Pereira Analio Lírio, dona de casa, de 53 anos, contou que a sobrinha disse ter arrancado a faca do pescoço da mãe e corrido atrás do pai.

“Ela viu o pai passando e falando “não fui eu”. Ela achou estranho e foi até o quarto da mãe ver o que tinha acontecido, mas chegando lá encontrou minha irmã já morta, com a faca no pescoço. Ela disse que tirou a faca e tentou correr atrás do pai, mas ele entrou dentro do carro, ligou o som alto e fugiu”

O caso, que está sendo tratado como feminicídio, foi antecedido por uma sequência de acontecimentos. De acordo com Delcimara, a irmã teria sido asfixiada pelo marido na terça-feira e precisou ser internada no Pronto Atendimento de Castelândia, onde dormiu. No dia seguinte, após o trabalho, ela foi para a casa de uma amiga, onde passou a noite. A amiga de Maria de Fátima, uma dona de casa de 40 anos, preferiu não se identificar, mas contou que a amiga temia pela própria vida e pela vida dos filhos. 

“Ela estava aterrorizada e com medo dele fazer algo com ela. Na noite anterior ele ameaçou ela e as crianças com um facão. Ela passou o dia lá em casa, passou a noite, dormiu lá em casa. Ela queria o casamento restaurado e acreditava na mudança dele”

A Polícia Civil disse que o caso seguirá sob investigação da Divisão Especializada de Homicídios e Proteção à Mulher (DHPM) e até o momento, nenhum suspeito do crime foi detido. Somente após a autoridade policial que estará à frente das investigações formar sua convicção, pautada na análise dos elementos coletados no inquérito policial, que se poderá afirmar a presença de uma qualificadora, inclusive a do feminicídio.

MATÉRIAS RELACIONADAS:

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: