X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Internacional

Terremotos matam mais de 2 mil pessoas no Afeganistão

Trata-se de um dos terremotos mais mortais a atingir o país em duas décadas


Imagem ilustrativa da imagem Terremotos matam mais de 2 mil pessoas no Afeganistão
Terremotos matam mais de 2 mil pessoas no Afeganistão |  Foto: Reprodução/Twitter

Fortes terremotos mataram pelo menos 2 mil pessoas no oeste do Afeganistão, disse um porta-voz do governo Taleban no domingo (08).

Trata-se de um dos terremotos mais mortais a atingir o país em duas décadas. Os números não puderam ser verificados de forma independente.

MATÉRIAS RELACIONADAS:


O terremoto de magnitude 6,3 na escala Richter (o que é considerado de forte intensidade) foi seguido de fortes tremores secundários no sábado, de magnitudes 6,3, 5,9 e 5,5, além de outros abalos menores, disse um porta-voz da autoridade de gestão de catástrofes do país.

Segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos, o epicentro do terremoto situou-se a cerca de 40 quilômetros a noroeste da cidade de Herat.

No domingo, as pessoas tentaram retirar os mortos e feridos com as mãos em Herat, subindo por cima de pedras e escombros. Sobreviventes e vítimas ficaram presos debaixo de edifícios que desmoronaram.

Um vídeo, partilhado na internet, mostra pessoas tentando libertar uma menina de um edifício que ruiu, depois de ter ficado enterrada nos escombros até o pescoço. Vê-se uma mão segurando o tronco da criança enquanto os socorristas a retiram do chão. Os socorristas disseram que era a mãe do bebê. Não fica claro se a mãe sobreviveu.

Abdul Wahid Rayan, porta-voz do Ministério da Informação e da Cultura, disse no domingo que o número de mortos é superior ao inicialmente registrado. Aldeias foram destruídas e centenas de civis estão soterrados sob os escombros, disse ao mesmo tempo em que pedia ajuda urgente.

"Para além dos 2.060 mortos, há 1.240 feridos e 1.320 casas completamente destruídas", disse Rayan. Pelo menos uma dúzia de equipes foram mobilizadas para ajudar nos esforços de salvamento, incluindo as forças armadas e organizações sem fins lucrativos, como o Crescente Vermelho.

A agência das Nações Unidas para a migração enviou quatro ambulâncias com médicos e conselheiros de apoio psicossocial para o hospital regional. Pelo menos três equipes móveis de saúde foram enviadas para o distrito de Zenda Jan, que é uma das zonas mais afetadas.

A ONG Médicos Sem Fronteiras montou cinco tendas médicas no Hospital Regional de Herat para acolher até 80 pacientes. As autoridades trataram mais de 300 pacientes, segundo a agência.

Irfanullah Sharafzai, porta-voz do Crescente Vermelho afegão, disse que sete equipes estão ocupadas com os esforços de salvamento, enquanto outras equipes estão chegando de oito províncias vizinhas.

"Foi montado um acampamento temporário para as pessoas que perderam as suas casas e precisam de abrigo por enquanto", disse Sharafzai. "Faremos tudo o que estiver ao nosso alcance para ajudar as pessoas pobres e necessitadas neste momento difícil".

O vizinho Paquistão disse estar profundamente triste com o terremoto. "Estamos em contato com as autoridades afegãs para obter uma avaliação em primeira mão das necessidades urgentes das pessoas afetadas pelo terremoto", declarou o Ministério dos Negócios Estrangeiros. "O Paquistão dará todo o apoio possível ao esforço de recuperação."

O embaixador da China no Afeganistão, Zhao Xing, disse que o seu governo e as instituições de caridade do país estão prontas para prestar todo tipo de ajuda. "Estamos em contato com as agências de ajuda do governo afegão para prestar auxílio aos necessitados", afirmou no X, anteriormente conhecido como Twitter.

Rashid Khan, estrela afegã do críquete, disse que ia doar todos os prêmios que receber no Campeonato do Mundo do esporte para ajudar os sobreviventes do terremoto de Herat. "Em breve, lançaremos uma campanha de levantamento de fundos para apelar àqueles que podem apoiar as pessoas necessitadas", declarou aos seus 1,9 milhões de seguidores no X.

O embaixador do Japão no Afeganistão, Takashi Okada, expressou as suas condolências na plataforma X, dizendo que estava "profundamente triste e angustiado ao saber das notícias do terremoto na província de Herat".

Em junho de 2022, um forte terremoto atingiu uma região montanhosa e acidentada do leste do Afeganistão, arrasando casas de pedra e de tijolo de barro. O terremoto matou pelo menos mil pessoas e feriu cerca de 1,5 mil.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: