X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Internacional

Ministro diz que Israel não perdoará ataque do Hamas

O Ministro também afirmou que o Hamas quer destruir Israel, ao invés de viverem em harmonia como vizinhos


Imagem ilustrativa da imagem Ministro diz que Israel não perdoará ataque do Hamas
O Ministro também afirmou que o Hamas quer destruir Israel, ao invés de viverem em harmonia como vizinhos |  Foto: Reprodução

O Ministro de Relações Exteriores de Israel, Eli Cohen, disse que o país e o mundo não vão perdoar os ataques do Hamas que levaram ao início da guerra.

"Quero assegurar-lhes que derrotaremos o terror. Não temos outra escolha", disse, em comunicado à imprensa nesta segunda-feira (9).
Israel está em guerra. Estamos em uma guerra e não escolhemos começar esta guerra, mas estamos enfrentando uma cruel organização terrorista

O Ministro também afirmou que o Hamas quer destruir Israel, ao invés de viverem em harmonia como vizinhos: "Não há disputa em relação à terra de Gaza. Demos Gaza aos palestinos até ao último milímetro. Não há disputa em relação à terra", disse Cohen.

"É um mal que não foi criado nem pelo diabo. Nas últimas décadas, não creio que tenhamos visto tais pecados - talvez apenas no Isis. O Hamas é o representante do Irã. O Hamas executou um massacre histórico que o mundo não esquecerá", disse o Ministro de Relações Exteriores de Israel, Eli Cohen.

O conflito entre Israel e o grupo extremista Hamas entrou no terceiro dia nesta segunda-feira (9), com Israel reunindo mais de 100 mil soldados de reserva perto da Faixa de Gaza, território palestino de onde partiu o ataque de sábado (7), e determinando um "cerco completo" no local, com corte da eletricidade, de combustíveis e alimentos.

MATÉRIAS RELACIONADAS:

Até o momento, o ataque do Hamas e a reação israelense deixaram mais de 1,2 mil mortos, segundo autoridades.

'RESGATAR REFÉNS É UMA PRIORIDADE'
A porta-voz das Forças de Defesa de Israel, Major Libby Weiss, disse que a prioridade é resgatar os reféns capturados pelo Hamas, independentemente da nacionalidade. Segundo o ministro das Relações Exteriores, mais de 100 pessoas foram feitas prisioneiras no fim de semana.

"Há muitos israelenses e outros de diferentes nacionalidades que foram mantidos como reféns. Estamos empenhados em trazê-los de volta no espírito de responsabilidade mútua", afirmou Eli Cohen, aos repórteres. "Exigimos que o Hamas não machuque nenhum dos reféns", continuou.

"A segurança deles [dos reféns] é responsabilidade deles [do Hamas]. Este crime de guerra não será perdoado", disse Eli Cohen, ministro das Relações Exteriores de Israel.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: