X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Assine A Tribuna
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Internacional

Avião faz pouso de emergência na Nova Zelândia após suposta colisão com pássaros

Segundo relatos de alguns passageiros, haviam chamas saindo de um dos motores e fortes estrondos


Um avião da Virgin Australia realizou um pouso de emergência na Nova Zelândia na noite de segunda-feira, 17, depois que um de seus motores pegou fogo logo após a decolagem. Uma suposta colisão com pássaros tem sido apontada como a principal causa.

O Boeing 737-800, que transportava 67 passageiros e seis tripulantes, pousou com segurança cerca de 50 minutos depois de deixar Queenstown, cidade na ilha sul do país. Não houve feridos, informou o diretor de operações da companhia aérea, Stuart Aggs. As informações são do The Guardian.

De acordo com os sites de rastreamento de voos, é possível ver que, após a decolagem, o avião seguiu para o sul de Queenstown ao invés de Melbourne, na Austrália, como estava programado. O avião realizou um padrão de espera enquanto sobrevoava a ilha sul antes de pousar no aeroporto de Invercargill, cerca de 150 km ao sul de Queenstown.

Segundo relatos de alguns passageiros, haviam chamas saindo de um dos motores e fortes estrondos, informou o New Zealand Herald. "Dentro de 10 segundos depois de decolar, ouvi um 'bang' alto, luzes douradas enchendo a cabine e uma explosão de chamas no motor direito", disse Michael Hayward, um dos passageiros, à rádio ABC.

De acordo com o The Guardian, o presidente executivo do aeroporto de Queenstown, Glen Sowry, informou nesta terça-feira, 18, que um pássaro preso no motor foi a causa mais provável do incidente. "Nesta fase, acreditamos que é altamente provável que tenha sido uma colisão com um pássaro, mas, até que o motor seja inspecionado pelos engenheiros em Invercargill, não poderemos confirmar isso com certeza", disse Sowry à RNZ.

As colisões com pássaros são um risco conhecido, mas os incidentes eram raros, disse o CEO. O aeroporto tomou medidas regulares de gestão de riscos, incluindo manter a grama curta e não permitir água parada nas proximidades. A taxa de aves que atingem aviões nos aeroportos da Nova Zelândia é de cerca de quatro em cada 10 mil movimentos de aeronaves, disse o regulador da aviação do país, em seu site.

MATÉRIAS RELACIONADAS:

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: