search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Homem acusado de estuprar e espancar enteada é preso em Ecoporanga

Notícias

Publicidade | Anuncie

Polícia

Homem acusado de estuprar e espancar enteada é preso em Ecoporanga


Um homem de 43 anos, acusado de ter estuprado e espancado a própria enteada de 6 anos, foi preso na manhã deste domingo (16), em Barra de São Francisco. A informação foi confirmada por Policiais Militares da região. A ocorrência está em andamento.

A menina deu entrada em um hospital da Barra de São Francisco, com sinais de espancamento e estupro, na madrugada da última sexta-feira (14). A mãe dela, de 43 anos, já havia sido presa.

Ainda segundo a Polícia Militar, o acusado foi encaminhado à delegacia de Barra de São Francisco onde o caso está sendo investigado. Por nota, a Polícia Civil disse que a ocorrência foi entregue pela Polícia Militar e está em andamento no plantão vigente da Delegacia Regional de Barra de São Francisco.

A polícia reforçou que informações sobre depoimento e para qual presídio o padrasto foi encaminhado só serão divulgadas após a finalização das oitivas da ocorrência.

Entenda o caso

O caso chegou à polícia por volta de 3h de sexta-feira (14), logo após a menina dar entrada no hospital. Ao perceber a gravidade dos ferimentos e descobrir que a criança havia sido abusada sexualmente em uma outra data, a equipe do hospital acionou a Polícia Militar.

No local, os militares descobriram que a criança havia sido transferida de um hospital de Ecoporanga, cidade que fica há 50 minutos de Barra de São Francisco e que era o atual município de residência da família.

Ao entrar em contato com o hospital de Ecoporanga, os policiais foram informados que o próprio padrasto havia levado a menina e sua mãe até o local e que teria dito para os médicos que a vítima teria caído de sua bicicleta. Em seguida, ele fugiu.

A Polícia Civil foi acionada e iniciou uma investigação. Após as primeiras apurações, foi solicitado como medida cautelar, para o bom andamento das investigações, a prisão temporária da mãe e do padrasto da criança, ambos de 43 anos. A mãe foi detida assim que o pedido foi deferido pelo Judiciário, ainda, no hospital.

Em depoimento, a mãe da criança disse que as agressões contra a vítima ocorreram na quinta-feira (13), versão que coincide com os hematomas e lesões relatados pela equipe médica. Segundo o delegado que está à frente das investigações, a mãe também confessou, não precisando dia, que a criança teria aparecido com a roupa cheia de sangue, mas não denunciou o estupro à polícia.

Entrar no grupo do WhatsApp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna Online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp.