X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Esportes

Ancelotti tem pedido de prisão por fraude fiscal na Espanha

Treinador é acusado por firmar residência fiscal na Espanha e domicílio em Madri e ter ocultado rendimentos


A Procuradoria Provincial de Madri pediu a prisão por quatro anos e nove meses para Carlo Ancelotti, técnico do Real Madrid. O motivo é a identificação de uma possível fraude na declaração de impostos. O valor de 1,06 milhão de euros (R$ 5,72 milhões) é referente ao faturamento com direitos de imagens do treinador, não declarado em tributos dos anos de 2014 e 2015.

Ancelotti é italiano, mas é acusado por firmar residência fiscal na Espanha e domicílio em Madri e ter ocultado rendimentos e os colocados em outras entidades. Na primeira passagem pelo atual clube, o técnico assinou contrato em 4 de julho de 2013, com vínculo válido dali até junho de 2016. No acordo, além do desempenho profissional, os rendimentos provenientes da transmissão de direitos de imagem ao clube fariam parte da sua remuneração. Foi nessa época em que ele começou a trabalhar e morar na Espanha.

O contrato não foi cumprido até o final, já que Ancelotti deixou o clube em maio de 2015. A residência em que morava, na região central de Madri, esteve alugada até outubro daquele ano. Dessa forma, a acusação alega que "a Espanha foi seu principal centro de relações pessoais e de interesses econômicos". Em julho de 2013, a Justiça de Madri já havia anunciado que levaria o treinador a julgamento, depois de três anos de investigação.

Ainda conforme a investigação, Ancelotti aproveitou uma rede "confusa e complexa" de associações de empresas para canalizar os ganhos com direitos de imagem. O italiano teria simulado a transferência dos valores para entidades "sem atividade real" e domiciliadas fora da Espanha. Na articulação, nem Ancelotti, tampouco as empresas precisariam pagar tributos ao Tesouro Espanhol ou fora do país.

A Procuradoria cita a empresa Vapia Limited como detentora dos direitos de imagens de Ancelotti. O negócio teria sido fechado em 25 milhões de euros (R$ 134,8 milhões) e por dez anos. Um dia depois disso, porém, o técnico foi nomeado como representante da companhia, o que, conforme o Ministério Público, "concedeu-lhe os máximos poderes de ação para gerir seus direitos de imagem". Depois, outro acordo mudou a duração do primeiro, reduzindo o prazo de dez para três anos e o preço caiu para 1 milhão de euros (R$ 5,39 milhões).

Depois de deixar o Real Madrid, em 2015, Ancelotti comandou o Bayern de Munique, da Alemanha, entre 2016 e 2017. Na sequência, teve trabalhos no Napoli, da Itália, e no Everton, da Inglaterra, antes de retornar ao clube espanhol.

O treinador soube da acusação durante a concentração para a partida do Real Madrid contra o RB Leipzig, nesta quarta-feira, dia 6, pelas oitavas de final da Liga dos Campeões. Na partida de ida, na Alemanha, o Real Madrid venceu por 1 a 0 com gol do espanhol Brahim Díaz. O jogo de volta, no Santiago Bernabéu, acontece às 17h (horário de Brasília).

A CBF quis contar com Carlo Ancelotti para substituir Tite no cargo de técnico da seleção brasileira. Fernando Diniz chegou a ser contratado com posição de "treinador de transição" até que o italiano assumisse. Faltou combinar com o Real Madrid, que renovou o contrato do italiano nos últimos dias de 2023. Poucos dias depois, Ancelotti revelou que conversou com o presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, mas apenas agradeceu o interesse, mas enfatizou que isso dependeria da situação dele com o Real Madrid.

MATÉRIAS RELACIONADAS:

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: