X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Esportes

Abel diz que queda do Palmeiras na semi se deve a ele e ao goleiro do Boca

Técnico ainda afirmou que o time paulista é "vítima do próprio sucesso" e criticou os cinco minutos de acréscimo


Imagem ilustrativa da imagem Abel diz que queda do Palmeiras na semi se deve a ele e ao goleiro do Boca
Abel Ferreira admitiu culpa pela eliminação |  Foto: Cesar Grecco / Palmeiras

Minutos após a eliminação na Libertadores, Abel Ferreira, técnico do Palmeiras, não escondeu sua frustração com a queda e distribuiu alfinetadas em sua entrevista.

Questionado sobre um aspecto da partida, o treinador não gostou da abordagem e sugeriu que responderia o quer o jornalista gostaria de ouvir.

"Estamos no Brasil. Quem não conhece a imprensa brasileira? A imprensa brasileira é conhecida em todo mundo por isso. Quer que eu diga o que? Que o responsável da derrota sou eu? Eu sou o máximo responsável pela derrota de hoje", disse Abel.

O palmeirense seguiu dando algumas respostas atravessadas, se esquivou de algumas perguntas, mas afirmou que o seu time teve mais possibilidades de vitória do que o rival.

Abel, no entanto, tratou de ressaltar a importância do goleiro Romero para o triunfo boquense. Abel foi direto e creditou ao jogador xeneize boa parte dos méritos:

"O fator decisivo pro Palmeiras não estar na final foi o goleiro do Boca, o resto é tudo suposição".

O que mais Abel falou

Abel se declara culpado por eliminação: "Estamos no Brasil... Quem não conhece a imprensa brasileira? A imprensa brasileira é conhecida em todo mundo por isso. O que você quer que eu diga? Que eu sou o responsável? O responsável máximo, e não é a primeira vez que eu digo isso, sou eu. Então, vou te dizer: eu sou o máximo responsável pela eliminação"

Abel sobre suas escolhas em relação ao time que vai a campo: "Quem é o treinador dessa equipe? Quem é que faz tudo para o Palmeiras ganhar? Quem é que está com eles todo dia? Então, é isso. Não tenho mais nada a falar"

Crias da Academia mudaram o jogo?: "O Luis e o Kevin entraram bem, aproveitaram a lesão do Dudu para se impor. Basta ver a média de idade do nosso adversário, lá eles foram ligeiramente superiores, e aqui fomos muito superiores. Vamos falar de fatos. Veja a quantidade de chances que criamos. Não é assim que funciona o futebol, na base do se. Eu durmo na casa que eu faço. Eu vou com as minhas ideias, e não com as ideias dos outros. Tudo o que faço dentro do clube é o melhor com o recurso que temos. Acabamos vítimas do próprio sucesso".

Goleiro do Boca é outro personagem decisivo: "Entendo as perguntas sobre os garotos, esses 'se' que vocês perguntam, mas o futebol é assim. Vejo o futebol de um jeito, e é por isso que sou treinador e vocês jornalistas. Será que tudo o que eu faço é para não ganhar o jogo? Queríamos muito estar na final, mas o Boca venceu. O goleiro do Boca fez a diferença, ele sim fez a diferença. Esse é o fato, todo o resto é "e se", "e se". Seguimos o nosso plano, mas desta vez houve o goleiro do adversário que não deixou seguirmos no caminho"

Briga pelo título brasileiro: "Não vou alterar o que disse. Conhecendo o futebol brasileiro, o futebol sul-americano nesses três anos, não altero uma vírgula daquilo que eu disse. O Botafogo tem tudo para ser campeão".

Abel tinha um plano, mas Boca tinha Romero: "Nós seguimos o plano... Só que, dessa vez, houve um goleiro que não deixou que o plano seguisse o caminho certo. Dar os parabéns para ele".

Palmeiras é vítima do próprio sucesso: "Nós vamos ser vítimas do próprio sucesso... Quando eleva o sarrafo a esse nível e não consegue entregar o que já entregou... Mas é bom que não se esqueçam que além dos jogadores que valorizamos, além dos títulos financeiros, além dos objetivos financeiros que conquistamos com os resultados, queríamos muito estar na final".

Futebol é cruel: "Na minha opinião, nos dois jogos, nós tivemos mais oportunidades para fechar a eliminatória. Mas o futebol é cruel. Vocês viram ontem... Uma equipe tem três oportunidades claras para matar o jogo, não mata e perde".

Crítica aos 5 minutos de acréscimo: "O Boca veio com uma clara intenção e conseguiu. Cinco minutos de acréscimo é patético. Nada o que eu disser aqui vai mudar o resultado".

MATÉRIAS RELACIONADAS:

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: