X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Educação

Robótica ajuda a resolver problemas no dia a dia

Torneios de robótica educacional e até de Fórmula 1 têm desafiado alunos a buscarem soluções para desafios diários



Imagem ilustrativa da imagem Robótica ajuda a resolver problemas no dia a dia
Gabriela, Nicole e Letícia participam das equipes de robótica |  Foto: Fábio Nunes / AT

Como forma de aliar conhecimento técnico ao desenvolvimento das mais diversas habilidades, torneios de robótica educacional e até de Fórmula 1 têm desafiado alunos a buscarem solução para desafios do dia a dia.

Equipes que são destaques em competições nacionais e internacionais do Sesi de Jardim da Penha, em Vitória, farão apresentações de projetos elaborados por eles durante o Meeting Tribuna de Educação, na próxima terça-feira (26).

Leia mais sobre Educação

Com patrocínio de empresas como a ArcelorMittal, a equipe de Fórmula 1 “Pocadores” foi premiada em setembro do ano passado como a melhor do mundo na categoria escrutínio da FIA (Federação Internacional de Automobilismo).

No desafio de construir um carro com até 20 centímetros, que atinja velocidade de 70 km/h, a categoria vencida por eles avaliava pontos como especificações e desenhos técnicos, além de acabamento e renderização (processo da computação gráfica).

O evento, o maior até o momento, foi em Cingapura, com participação de 68 equipes de 26 países.

Um dos técnicos da equipe, o professor Bruno Silveira de Castro, contou que esse não foi o único resultado positivo da equipe, que participou no ano passado de seu terceiro Mundial de F1 in Schools (Fórmula 1 nas escolas).

Eles também são pentacampeões no torneio estadual. “Participam da equipe estudantes do 8º ano do ensino fundamental à 2ª série do ensino médio. Todos os anos, as equipes passam por reformulações, com um novo edital para inscrições abertas. Eles formam uma verdadeira escuderia, com cada um com uma função na equipe.”

Outros destaques da escola, que também vão se apresentar no evento, são as equipes premiadas de robótica do Sesi: Legotrix e The Walking Lego.

Cada equipe, com estudantes do 6º ao 9ª ano, desenvolve um projeto para participar do First Lego League Challenge – um torneio de robótica que desafia estudantes a buscarem soluções para problemas do dia a dia.

No último torneio, foi proposto um desafio para jovens repensarem o mundo das artes aliadas às tecnologias. Em seus projetos, eles tinham que responder como utilizar artes e tecnologia para engajar as pessoas naquilo que amam fazer.

No caso da Legotrix, a estudante Nicole de Castro Soares, de 13 anos, explicou que foi desenvolvido na última temporada um jogo de tabuleiro – que pode ser jogado também no formato digital – voltado para conhecimento da música brasileira.

"A participação nas equipes permite que os estudantes desenvolvam habilidades como trabalho em equipe e comunicação, além de conhecimento em ciências, tecnologias, artes e matemática", afirmou o professor Bruno.


Equipe The Walking Lego

“Estou na primeira temporada da equipe de robótica The Walking Lego. Os robôs e a programação sempre me despertaram interesse, por isso quis entrar. Na equipe cada um faz um pouco de tudo.

Na última competição elaboramos e montamos um fone de ouvido que mandava vibrações para que pessoas surdas pudessem sentir a música”.

- Gabriela Pereira Paes Henriques, de 13 anos, estudante do 8º ano do Sesi de Jardim da Penha

Equipe Legotrix

“Estou na segunda temporada da equipe de Robótica “Legotrix”. Foi a curiosidade e o desejo de me desafiar que me levou a buscar a robótica. A cada dia aprendo mais e descobri uma maior afinidade para a área de projeto de inovação, leitura de artigos científicos, da criação de protótipos e do processo criativo. Para o futuro, já penso até mesmo em fazer Arquitetura”.

- Nicole de Castro Soares, de 13 anos, aluna do 8º ano do Sesi de Jardim da Penha

Equipe Pocadores

“Faço parte da equipe de Fórmula 1 “Pocadores” desde o ano passado. Entrei na equipe para dar continuidade ao trabalho que já vinha realizando na equipe de robótica, em busca de novos conhecimentos. Aqui aprendi um pouco mais sobre a gestão e já penso em seguir por esse caminho no futuro. Também tive a oportunidade de melhorar a comunicação, o trabalho em equipe e a gerir o tempo”.

- Leticia Rangel Mação, de 16 anos, aluna da 2ª série do ensino médio do Sesi de Jardim da Penha

MATÉRIAS RELACIONADAS:

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: