X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Economia

Saiba fugir do golpe da falsa prova de vida do INSS

Em comunicado, o INSS informa que nunca entra em contato direto com os segurados para pedir dados pessoais


Imagem ilustrativa da imagem Saiba fugir do golpe da falsa prova de vida do INSS
Em comunicado, o INSS informa que nunca entra em contato direto com os segurados para pedir dados pessoais |  Foto: Rafa Neddemeyer/Agência Brasil

Aposentado e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) devem ficar atentos contra um golpe que voltou à tona envolvendo a prova de vida. Os casos se espalham pelo país, o que fez com que o instituto emitisse um alerta aos segurados nesta semana.

A estratégia dos criminosos consiste em abordar beneficiários do órgão por telefone, mensagens de WhatsApp e SMS, alegando uma suposta necessidade de realizar o procedimento de prova de vida pela internet.

Enquanto se passam por atendentes do INSS, os criminosos pedem para que a vítima confirme dados pessoais e bancários, e, depois, solicitam o envio de uma foto atualizada e cópia de documentos digitalizados. Com as informações em mãos, conseguem executar fraudes financeiras.

Em comunicado, o INSS informa que nunca entra em contato direto com os segurados para pedir dados pessoais nem envio de documentos.

"O órgão já tem todas as suas informações pessoais. Todas as suas documentações são encaminhadas diretamente na agência ou por meio do Meu INSS", afirma Washington Barbosa, especialista em Previdência e professor de pós-graduação da PUC-MG (Pontifícia Universidade Católica em Minas Gerais).

"Por isso, o principal cuidado é não passar absolutamente nenhuma informação pessoal. Se alguém pedir um documento ou dado específico, suspeite, desligue a ligação e entre em contato com o INSS diretamente pelo número 135."

CONFIRA ABAIXO MAIS DICAS DE COMO SE PROTEGER DE GOLPES ENVOLVENDO O INSS:

Não clique em links enviados por SMS, WhatsApp ou email;

O número de SMS usado pelo INSS é 280-41. Qualquer outro não representa a autarquia;

Confirme qualquer solicitação por meio dos canais oficiais: o aplicativo ou site Meu INSS ou o telefone 135;

Use apenas os canais oficiais de atendimento para cumprir solicitações do INSS, seja para agendar serviços ou enviar documentos;

Mantenha seus dados de contato, como telefone, email e endereço atualizados nos canais oficiais;

Monitore seu CPF para verificar possíveis usos indevidos em programas de crédito. É possível fazer isso pelos sites Registrato, Serasa e SPC.

PROVA DE VIDA MUDOU EM 2023

A prova de vida do INSS ou fé de vida é feita todos os anos e passou por mudanças em janeiro de 2023. Agora, o governo que é o responsável por comprovar se o segurado está vivo, e não o contrário.

Todos os benefícios ativos do INSS de longa duração precisam do recadastramento anual, como é o caso de aposentadoria, pensão por morte e benefícios por incapacidade.

Antes das mudanças, o beneficiário tinha que fazer a prova de vida no banco onde recebia o pagamento. Na maioria das instituições, havia a opção de realizar o procedimento presencialmente e pelo caixa eletrônico, com uso da biometria.

Agora, o instituto passou a realizar um cruzamento de dados com outros órgãos públicos para comprovar se o segurado está vivo ou não.

São exemplos de procedimentos que o INSS usa como prova de vida a realização de empréstimo consignado com uso de biometria, o comparecimento às eleições, a vacinação, a renovação de documentos oficiais ou a declaração do Imposto de Renda.

O órgão analisa se há um pacote mínimo de informações que sejam suficientes para o recadastramento.

MATÉRIAS RELACIONADAS:

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: