X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Economia

Juros do rotativo do cartão de crédito recua pouco sob nova regra

Taxa ficou em 412,5% em fevereiro, uma queda de 6,8 pontos percentuais



Imagem ilustrativa da imagem Juros do rotativo do cartão de crédito recua pouco sob nova regra
Taxa ainda é alta, acima dos 400% ao ano |  Foto: Canva

A taxa média de juros cobrada pelos bancos de pessoas físicas no rotativo do cartão de crédito recuou pouco em fevereiro, para 412,5% ao ano, no segundo mês sob a nova regra da modalidade. Os dados foram divulgados pelo Banco Central nesta terça-feira (02).

Houve uma queda de 6,8 pontos percentuais no mês, na comparação com janeiro, quando a taxa do rotativo estava em 419,3% ao ano.

Pela nova regra, porém, em vigor desde 3 de janeiro, a dívida de quem atrasa o pagamento da fatura do cartão de crédito não pode mais superar o dobro do montante original. Ou seja, a taxa de juros terá um teto de 100% do valor da dívida contraída.

No caso de atingimento de juros equivalentes a 100% da dívida original -teto previsto em lei-, o valor da dívida permanecerá inalterado nos meses seguintes. O dado divulgado hoje engloba também as dívidas que já estavam no estoque antes da mudança nas regras do rotativo. Sendo assim, a taxa média não reflete na totalidade as mudanças implementadas no início do ano.

Dois meses depois que a nova norma entrou em vigor, o recuo segue lento, e o juro médio, quando calculada a taxa anual, continua acima dos 400% ao ano -patamar que ocupa desde dezembro de 2022. Na comparação em 12 meses, a taxa caiu 7,9 pontos porcentuais.

A taxa divulgada pelo BC é anualizada. Uma taxa média de 412,5% ao ano é equivalente a um juro mensal médio de 14,59%.

A nova medida foi estabelecida pela lei do Desenrola, sancionada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em outubro do ano passado. Havia expectativa por parte do governo de que a mudança levasse a uma queda mais acentuada na taxa cobrada no rotativo.

O Congresso chegou a abrir a possibilidade de autorregulação no setor no prazo de 90 dias, mas as instituições financeiras não chegaram a um consenso sobre uma proposta alternativa. Sem acordo, passou a valer o teto de 100% da dívida -chamado de "muro inglês".

A regulamentação foi definida em dezembro do ano passado pelo CMN (Conselho Monetário Nacional) -colegiado formado pelos ministros Fernando Haddad (Fazenda) e Simone Tebet (Planejamento), além do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto.

Em fevereiro, a inadimplência no rotativo do cartão de crédito caiu 1,2 ponto percentual na comparação mensal, a 52,6% -mais da metade do volume das operações.

No segundo mês do ano, houve liberação de R$ 30,25 bilhões na modalidade -um mês antes, foram concedidos R$ 30,97 bilhões. O pico de concessões foi atingido em novembro do ano passado, com R$ 33 bilhões -o mês com maior volume liberado no rotativo desde o início da série histórica em março de 2011.

O rotativo é a linha de crédito mais cara do mercado, recomendada por especialistas apenas em casos emergenciais. Desde 2017, os bancos são obrigados a transferir a dívida do rotativo do cartão de crédito para o parcelado, que possui juros mais baixos, após 30 dias.

A taxa do parcelado do cartão também caiu em fevereiro, para 184,5 % ao ano, redução de 3,3 pontos percentuais na comparação com janeiro (187,8%).

MATÉRIAS RELACIONADAS:

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: