X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Grandes empresas anunciam ampliação, nova usina e empregos

Vale projeta unidade de dessalinização e vai ter vagas, assim como a Samarco, que ampliará produção. ArcelorMittal também fez anúncios

Rafael Guzzo | 06/08/2022 13:44 h

Planta da Samarco em Anchieta: empresa vai ativar novo mineroduto, o que “vai criar empregos e oportunidades de negócios”, nas palavras de um diretor
Planta da Samarco em Anchieta: empresa vai ativar novo mineroduto, o que “vai criar empregos e oportunidades de negócios”, nas palavras de um diretor |  Foto: Roberta Bourguignon/AT

Usina da Vale para tirar o sal da água do mar. Operação de um novo mineroduto e ampliação da produção na Samarco. Ampliação de linhas para agregar valor ao aço produzido no Espírito Santo pela ArcelorMittal. 

Esses foram alguns dos investimentos anunciados pelas empresas durante o painel Mineração, Siderurgia, Papel e Celulose, na feira Mec Show, nesta semana, no Pavilhão de Carapina, na Serra.

A Vale anunciou que vai precisar de novos profissionais para trabalhar em melhorias de sua planta em Tubarão, com a previsão de contar, ao todo, com 7.165 empregados, entre diretos e terceirizados, já em outubro deste ano. 

A empresa tem, atualmente, 21 projetos em andamento. E entre os planos futuros está a construção de sua usina de dessalinização da água do mar, a exemplo do que já realizou a ArcelorMittal Tubarão. 

A proposta está em fase conceitual e tem como objetivo aumentar a sustentabilidade, segundo o gerente de Projetos de Engenharia do Complexo de Tubarão da Vale, Renato Gomes de Souza. 

Ele destacou ainda o investimento, em curso, da substituição do sistema de queima das usinas, que ajudará a mineradora a ganhar em produção e reduzir emissões. 

Já a Samarco vai, no início do próximo ano, ativar um novo mineroduto e ampliar a produção em Ubu, Anchieta.  A empresa hoje opera com 26% de sua capacidade — após voltar à ativa em 2020, depois de ficar paralisada devido à tragédia em Mariana (MG), em 2015. 

O novo mineroduto vai permitir a ampliação da produção para até 32% da capacidade, o que, segundo o gerente-geral de Operações da Samarco, Alysson Werneck Pereira, “vai criar empregos e ampliar as oportunidades de negócios”. 

Pereira destacou que a Samarco passou a fazer mineração de uma nova maneira, ampliando a responsabilidade e minimizando riscos. E falou ainda do uso de resíduo do mármore produzido no Estado como coproduto para elaborar o ferro, dando nova destinação às rochas ornamentais capixabas. 

A ArcelorMittal está em processo de aquisição da Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), no Ceará, e investe na expansão da  galvanização na unidade de Vega, em Santa Catarina, que vai agregar valor ao aço produzido no Estado. 

“O aço passa a ter maior resistência à corrosão, por exemplo”, citou o diretor de Operações da ArcelorMittal Tubarão, Erick Torres.

O que destacaram as empresas na Mec Show

- Vale

O gerente de Projetos de Engenharia do Complexo de Tubarão da Vale, Renato Gomes de Souza, frisou que para este ano são 21 investimentos  em Tubarão, enquanto serão 23 para o próximo ano e 24 para 2024. 

Um cronograma de mão de obra foi exibido. Nele, é prevista a necessidade de 7.165 profissionais nos projetos em Tubarão já em outubro. Para setembro de 2023, esse número é previsto em 6.671 empregados. 

Entre as melhorias em Tubarão, estão a substituição de máquinas do pátio, a substituição do sistema de queima das usinas e o uso de tecnologias e solução pré-montadas. 

- ArcelorMittal 

O  diretor de Operações da ArcelorMittal Tubarão, Erick Torres, falou sobre a usina dessalinizadora, já concluída, com processamento de 500 metros cúbicos de água por hora. O projeto é o maior do gênero no Brasil. Falou ainda da quarta bateria de coque e da selagem do gasômetro entre os projetos já finalizados. 

Entre os projetos em implantação pela siderúrgica, o executivo enalteceu o Cold Mill Complex, na unidade Vega, em Santa Catarina, que vai agregar valor ao aço produzido no Espírito Santo, dando maior resistência contra a corrosão, por exemplo. O investimento é de R$ 1,9 bi.

- Samarco

o gerente-geral de Operações da Samarco, Alysson Werneck Pereira, apresentou detalhes sobre a mineradora, que tem capacidade de produzir 30 milhões de toneladas  anuais. 

Com um novo mineroduto, a produção vai subir dos atuais 26% da capacidade para até 32% já no início de 2023.  A empresa tem em Minas e no Espírito Santo 9 mil colaboradores, sendo 1.500 diretos, e vai abrir novas oportunidades com a ampliação.

A projeção é de aumentar  a produção para 60% da capacidade em 2026 e chegar a 100% em 2029. 

Fonte: Executivos citados.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS