X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

"Os jovens vão morrer em uma proporção não vista na pandemia", diz secretário da Saúde

| 23/03/2021 16:34 h | Atualizado em 23/03/2021, 17:32

Festa clandestina em Viana
Festa clandestina em Viana |  Foto: Reprodução de vídeo

O secretario de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, fez um alerta aos jovens durante coletiva de imprensa, na tarde desta terça-feira (23). O titular da pasta pediu a esse público que utilize máscaras e não se aglomerem em festas, já que há variantes do coronavírus que afetam mais esse grupo e isso pode causar mortes entre jovens. 

"A juventude capixaba precisa compreender que o momento é de ficar em casa, se proteger e ter empatia pelas pessoas que ama. Nós necessitamos, neste momento, controlar a doença na juventude não só porque ela transmite para os idosos, mas porque precisamos ter uma juventude que se ama. Para amar ao próximo, precisa amar a si mesmo. Os jovens vão morrer em uma proporção não vista em outros momentos da pandemia com a circulação de novas variantes no Brasil", afirmou Fernandes.

De acordo com ele, a variante brasileira P1 não foi documentada no Estado como transmissão comunitária até o momento, porém, a variação inglesa tem tido crescimento exponencial em terras capixabas, chegando a 65 dos 78 municípios

"Ambas as variantes afetam jovens em uma proporção maior do que as variantes originárias. Elas farão com que muitos deles evoluam para internação em enfermaria e UTI e a óbito também, por isso a juventude precisa compreender que usar máscaras não é um capricho ideológico ou de qualquer sanitarista. Usar máscara é sinal de amor próprio e usar adequadamente. Não é usar a máscara de queixo, pescoço e, de preferência, usar máscaras com alto poder filtrante", advertiu.

O secretário ainda frisou que foram irresponsáveis e indevidas todas as festas realizadas pela juventude nesse último ano.

"Não façam festas, não façam reuniões de amigos, ainda que vocês se encontrem cotidianamente com essas pessoas, porque elas podem se infectar e não é momento de visitas domiciliares", disse o secretário. 

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS