X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Como curtir o feriadão, até na praia, sem fazer aglomeração?

| 06/10/2020 19:34 h | Atualizado em 06/10/2020, 19:48

Praia  Recanto dos Amores
Praia Recanto dos Amores |  Foto: Roberta Bourguignon

O feriado de Nossa Senhora de Aparecida, padroeira do Brasil, será comemorado na próxima segunda-feira (12). Somando ao fim de semana, serão três dias de folga para as famílias aproveitarem. No entanto, durante um período de pandemia, como o que vivemos por conta do coronavírus, cuidados devem ser redobrados para evitar o contágio.

Em entrevista coletiva, na segunda-feira (5), o secretário estadual da Saúde, Nésio Fernandes, e o subsecretário de Vigilância em Saúde, Luiz Carlos Reblin, informaram que houve aumento no número de casos de Covid-19 nas cidades nas quais foram observadas cenas de aglomeração. A tendência de momento nesses municípios, revelaram eles, é de uma nova queda na quantidade de pacientes.

O Tribuna Online conversou com alguns especialistas que deram orientações de como se cuidar e curtir o feriado sem aglomeração.

O infectologista Paulo Peçanha destacou que após esses longos meses de pandemia um passeio seja na praia ou na montanha pode ser bom para saúde mental das pessoas e famílias.

“Agora é muito importante que as pessoas façam esses passeios sem aumentar o risco de se contaminarem, porque o coronavírus continua circulando. A gente vê que, nesse ultimo mês, com essa tendência progressiva de flexibilização das atividades, a gente já percebeu em números que a taxa de transmissão do vírus, que tinha abaixado, subiu um pouco”, afirmou ele.

O especialista afirma que tanto para praia, quanto para montanha, é importante respeitar os protocolos de uso de máscara, higienização das mãos com álcool em gel e distanciamento entre as pessoas.

“Um comportamento descuidado vai complicar um momento positivo para nossa saúde mental e física em uma possibilidade de um passeio, de um relaxamento, de uma descontração, nesse período de redução dos números da pandemia. Podemos sair, mas não podemos diminuir os nossos cuidados para evitar a transmissão e as complicações causadas pelo coronavírus”, afirmou ele.

Os últimos dias no Estado têm sido de sol forte e calor. Uma boa pedida é a praia. Há opções de locais que recebem poucas pessoas e se mostram como bons ambientes para fugir de aglomerações e, ao mesmo tempo, dar uma refrescada no calor.

Além de buscar pela não aglomeração com os demais banhistas, também é preciso observar com quem você vai à praia. Peçanha destaca que não há problema em ficar perto da família na praia, desde que sejam pessoas que moram você.

"Não se pode considerar pessoas que moram em outros endereços. Pessoas que moram juntas podem ficar juntas na praia. Agora, se você junta amigos, vizinhos, colegas, que você não vê tem algum tempo, é aumentar o risco porque essa pessoa pode estar no período de incubação do vírus”, explica Peçanha

Já o infectologista Crispim Cerutti Junior aconselha a não ir à praia, mas buscar áreas rurais. “O tempo todo lembrar dos três princípios para evitar a transmissão: não manter contato físico com outras pessoas, fazer higienização constante das mãos e usar máscara sempre”, disse ele, alertando sobre as pessoas que colocam a máscara no queixo em alguns momentos quando estão em ambientes abertos.

O uso de máscara, segundo ele, é necessário até mesmo ao praticar alguma atividade física, como caminhada.

Entre as opções no interior, há os parques estaduais, que estão abertos para visitação. Há cinco opções, todas elas em cidades classificadas como baixo risco para contágio pelo novo coronavírus: Cachoeira da Fumaça, em Alegre; Forno Grande, em Castelo; Pedra Azul, em Domingos Martins; Itaúnas, em Conceição da Barra; e Paulo Cesar Vinha, em Guarapari.

Médico, apesar de todos os cuidados, foi contaminado pelo coronavírus
Médico, apesar de todos os cuidados, foi contaminado pelo coronavírus |  Foto: Divulgação
Nesses locais, os visitantes precisam seguir as normas sanitárias, como evitar aglomerações, usar máscaras, levar o próprio recipiente para beber água, além do álcool gel 70% para realizar a higienização das mãos com frequência. Pessoas do grupo de risco devem evitar a visitação ou buscar por horários de menor lotação.

Também há opções para pessoas que não querem contato com a natureza e preferem atrações culturais. Na segunda-feira, o governo autorizou a reabertura de cinemas, teatros, parques de diversões e circos, que também precisam seguir protocolos sanitários.

No Estado, a partir de quinta-feira (8), já vai ter cinema aberto e com estreias em cartaz para o público.


As regras para cada lugar


Praias

  • Recomendações dos especialistas são de manter o distanciamento e evitar aglomeração. O infectologista Paulo Peçanha diz que familiares podem ficar juntos, desde que sejam pessoas que moram na mesma casa e convivem juntas.

  • O infectologista Crispim Cerutti Junior destaca que é importante usar máscara sempre mesmo que durante atividades físicas.

  • No caso de sentar em quiosques para comer ou beber, é preciso observar se as mesas estão respeitando a distância de pelo menos 1,5 metros entre uma e outra.

  • Também é necessário observar os cuidados com a higienização das mãos. O ideal é ter a disposição frasco com álcool 70%

Cinemas

Ingressos e alimentos

  • Devem ser vendidos preferencialmente pela internet. As máquinas de autoatendimento, quando em operação, devem ficar a 1,5m de distância umas das outras, assim como as pessoas na fila.

  • A venda de ingressos ou produtos da bombonière por meio de ponto de vendas, com atendentes, deverá ser organizada de forma a evitar filas e para que seja mantida a distância de 1,5m entre as pessoas.

  • Informar ao público, no ato da compra do ingresso, para não acessar a sessão/espetáculo caso apresente sinais e sintomas de síndrome gripal.

  • É vedada a venda de assentos contíguos e a comercialização avulsa de produtos em meio ao público em salas, auditórios e plateia.

Higiene

  • Devem ser disponibilizados dispensers com álcool 70% em locais estratégicos.

  • As medidas de higienização das mãos devem ser seguidas, com água e sabonete líquido ou álcool 70%.

  • Sala de cinema: novas regras valem também para quem comprou entradas. Há previsão de mais ações na Justiça
    Sala de cinema: novas regras valem também para quem comprou entradas. Há previsão de mais ações na Justiça |  Foto: Divulgação
    Sanitários e lavabos devem ter água potável corrente, sabonete líquido, toalhas de papel descartáveis, lixeira com acionamento por pedal e álcool 70%.
  • Salas, áreas de plateia e auditórios devem ser abertos com antecedência à apresentação/sessão, para evitar filas e aglomerações no acesso.

  • Orientações sanitárias sobre a Covid-19 devem ser veiculadas antes da exibição dos filmes/espetáculos, por meio de conteúdo audiovisual, quando possível.

Máscaras

  • O uso de máscara é obrigatório por todos em todo o período.

  • O trabalhador que realizar atendimento ao público em distância inferior a 1,5m e sem outras barreiras físicas deve utilizar máscara e também o protetor Face Shield.

  • Os clientes devem ser orientados a retirar as máscaras somente quando forem ingerir alimentos e bebidas, que deve ocorrer apenas quando estiverem sentados.

Grupos de risco

  • Não é recomendada a presença de pessoas acima de 60 anos, crianças de até 5 anos e pessoas com comorbidades consideradas de risco para Covid-19.

Ocupação

  • A capacidade de salas, auditórios e áreas de plateia deve ser reduzida a 40%.

  • Determinar e indicar em local visível o número máximo de pessoas permitido nas salas.

  • As pessoas deverão ser dispostas em assentos que respeitem a distância mínima de 1,5m, lateral e frontal.

  • Tratando-se de pares ou familiares ou habitantes de uma mesma residência, a distância mínima entre eles não será aplicável. Todavia, estes deverão respeitar a distância mínima de segurança em relação aos demais presentes.

Bebedouro

  • Não devem ser utilizados bebedouros que possuam jatos de água para consumo direto, devendo ser utilizados apenas bebedouros que permitam a retirada de água com uso de copos descartáveis ou recipientes de uso individual.

Sinalização

  • Organizar e demarcar fluxos de sentido único para entrada, saída e circulação das pessoas, devendo-se adotar medidas para que não ocorram aglomerações em corredores, banheiros e demais ambientes.

  • Reforçar a sinalização com recomendação de cumprimentos sem contato físico, de higiene pessoal e de uso de máscaras.

Óculos 3D

  • Os óculos 3D somente deverão ser disponibilizados caso haja procedimento que garanta a higienização adequada a cada uso.

Funcionários

  • Sempre que possível, assegurar medidas especiais para os trabalhadores pertencentes aos grupos de risco, como priorizar atividades não presenciais ou outras medidas possíveis.

Limpeza e refrigeração

  • Salas, áreas de plateia e auditórios deverão ser adequadamente higienizados ao final de cada sessão/espetáculo, contemplando todas as superfícies de contato.

  • Realizar periodicamente a limpeza do sistema de ar-condicionado, quando houver, intensificando os cuidados rotineiros de acordo com as especificações dos fabricantes e garantindo renovação de ar do ambiente por meio de programação do sistema de refrigeração.

Parques de diversões e circos

  • Seguem as recomendações para cinemas. 
  • Entretanto, no caso dos circos, que não possuem ar-condicionado, deverão manter abertas as lonas laterais de forma a garantir a circulação do ar natural interna.

Parques estaduais e municipais

  • Nas cidades de risco baixo, os parques podem funcionar com horário normal, mas regras como uso de máscara, levar a própria garrafinha de água, uso de álcool em gel nas mãos e distanciamento devem ser seguidas.

  • No caso de parques estaduais, são cinco opções abertas ao público para visitação. As cidades onde eles estão localizados estão classificadas como baixo risco para contágio pelo novo coronavírus. No entanto, cuidados são necessários para evitar a infecção pelo vírus e protocolos sanitários devem ser seguidos pelos visitantes.

  • Os parques Cachoeira da Fumaça, Itaúnas e Paulo Cesar Vinha tem limite de visitação de 100 pessoas por dia, das 8h às 16 horas. Não é necessário agendamento e o controle de acesso é pela ordem de chegada.

  • Já nos Parque de Pedra Azul e do Forno Grande, a visitação é feita em dois turnos, de 50 visitantes cada, das 8h às 11h e de 13h às 16h. Toda visitação será feita por agendamento prévio, pelo telefone (27) 3248-1156, número válido para os dois parques. A prática de escalada até o Pico do Forno Grande está liberada, com agendamento pelo e-mail [email protected]

Fonte: Médicos ouvidos, pesquisa AT e Iema

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS