X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Mulheres brilham na ciência em pesquisas inovadoras

| 08/03/2021 16:54 h | Atualizado em 08/03/2021, 17:18

As pesquisadoras Sandra, Camila e Priscila participam de projeto na Ufes sobre câncer de cabeça e pescoço
As pesquisadoras Sandra, Camila e Priscila participam de projeto na Ufes sobre câncer de cabeça e pescoço |  Foto: Fábio Nunes/AT

Ser a primeira pessoa a desenvolver medicamentos para doenças como leucemia, descobrir elementos químicos e sequenciar o genoma do novo coronavírus. Por trás dessas conquistas, estão mulheres que brilham no campo científico, mas que também são mães, filhas, noras e donas de casa.

Para a doutora em Diagnóstico Bucal e coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), Sandra Ventorin von Zeidler, o desafio é bem-vindo. Ela está à frente de um projeto de pesquisas sobre diagnóstico e prognóstico de câncer de cabeça e pescoço.

“Nossas pesquisas buscam soluções para os problemas clínicos da população com esses tumores. Uma de nossas pesquisas é avaliar a participação de vírus, como o HPV, no desenvolvimento dos tumores e, também o uso de biomarcadores para o diagnóstico e progressão da doença”, explicou.

Mesmo diante de dificuldades, ela conseguiu montar um grupo de pesquisa, que hoje realiza uma técnica que não é feita em nenhum outro laboratório do Brasil.

“Está crescendo bastante a atuação de mulheres na área de pesquisa. Nesse período de pandemia, estamos vendo várias mulheres liderando projetos”, disse Sandra. Cerca de 80% do seu grupo de pesquisa é formado por mulheres. Segundo a pesquisadora, há uma compreensão melhor entre elas, que entendem as dificuldades em dividir o tempo entre a pesquisa científica e a família.

“Existem as demandas que ser mulher nos pede, como ser mãe, estar presente na vida do filho, e na pesquisa, mas gostamos do que fazemos”, disse a farmacêutica Priscila Marinho, integrante do grupo de pesquisa de Sandra.

A biomédica Camila Batista, que também faz parte do grupo de pesquisa, conta que é um desafio ser cientista e mulher. “No Brasil, somos maioria no campo de pesquisa, mas nas posições de liderança, ainda há uma desigualdade, o que é um desafio”, observou.


Elas dão o exemplo


Estudos sobre Covid e infecções

Imagem ilustrativa da imagem Mulheres brilham na ciência em pesquisas inovadoras

Trabalhando na área de hematologia e à frente de pesquisa sobre o uso de plasma do sangue de pessoas infectadas pela Covid-19 para o tratamento e recuperação de novas infecções, a chefe do Centro de Estudos do Hemoes, Alessandra Loureiro Prezotti, conta que mais da metade da equipe é composta por mulheres.

Ao lado dela estão cientistas como a farmacêutica ambulatorial Maria Orleti, as farmacêuticas Luci Mara e Débora Rocha, e a médica hematologista Sibia Marcondes.

Controle de epidemias

Imagem ilustrativa da imagem Mulheres brilham na ciência em pesquisas inovadoras

Graduada em Enfermagem, doutora em Epidemiologia, pós-doutora em Epidemiologia e professora da Ufes, Ethel Maciel trabalha há 26 anos com pesquisa científica. Ela atua no campo da saúde coletiva, em temas como epidemiologia de doenças infecciosas e análise de controle de epidemias – como Covid-19 e zika vírus.

“Hoje, me dedico a auxiliar e incentivar outras mulheres que queiram trabalhar nessa área”, contou.

Código genético do coronavírus

Imagem ilustrativa da imagem Mulheres brilham na ciência em pesquisas inovadoras

Duas brasileiras foram responsáveis por sequenciar, em 48 horas, o genoma do novo coronavírus dos dois primeiros casos diagnosticados no País, no ano passado.

As cientistas Jaqueline de Jesus e Ester Sabino usaram uma técnica que a professora Ester trouxe para o Brasil há quatro anos, durante a epidemia do vírus da zika. O sequenciamento foi em tempo recorde, já que os cientistas de outros países demoravam, em média, 15 dias.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS