X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Brasil

Itamaraty confirma adiamento da viagem de Lula ao Chile por conta das chuvas no RS

Fortes chuvas que assolam o Rio Grande do Sul podem piorar ainda mais a situação ao longo dos próximos dias


O presidente Luiz Inácio Lula da Silva adiou a viagem que faria entre os dias 17 e 18 de maio ao Chile em decorrência das enchentes no Rio Grande do Sul, confirmou o Ministério das Relações Exteriores nesta segunda-feira, 13. Novas datas "serão comunicadas oportunamente", informa o Palácio Itamaraty.

O adiamento, segundo nota divulgada, se deu pela "necessidade de acompanhamento da situação das enchentes no Rio Grande do Sul e de coordenação no atendimento à população afetada e nas tarefas de reconstrução". Dentre as agendas no país vizinho, estava programado um encontro bilateral com o presidente chileno, Gabriel Boric.

Conforme mostrou o Estadão/Broadcast, no Palácio do Planalto, está em aberta uma terceira viagem do petista ao Estado gaúcho por conta das chuvas nesta semana. Em coletiva concedida no sábado, 11, o ministro da Secretaria de Comunicação Social (Secom), Paulo Pimenta, reiterou que Lula tem interesse em voltar ao Rio Grande do Sul.

As fortes chuvas que assolam o Rio Grande do Sul podem piorar ainda mais a situação ao longo dos próximos dias nas regiões dos vales do Caí e do Taquari, no interior do Estado. Até o momento, ao menos 143 pessoas morreram. Outras 125 estão desaparecidas.

Mais de 2,1 milhões de gaúchos já foram afetados pelas chuvas, naquele que já é considerado o maior desastre climático da história do Rio Grande do Sul. Entre eles, 532 mil estão desalojados e 81 mil, recolhidos em abrigos.

MATÉRIAS RELACIONADAS:

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: