search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Atriz de "Malhação" diz que pensou em se matar após vídeo publicado em site pornô

Entretenimento

Publicidade | Anuncie

Famosos

Atriz de "Malhação" diz que pensou em se matar após vídeo publicado em site pornô


A atriz Pillar Costa, que participou de "Malhação" em 2019, fez um desabafo após um vídeo seu ter sido publicado em um site pornô.

Em uma mensagem postada em seu canal no YouTube, ela disse ter entrado em depressão e ter cogitado tirar tirar a própria vida. "Pensei em me matar de verdade", disse.

Nas imagens, que já foram tiradas do ar, Pillar aparece vestida e dançando funk. A atriz conta que soube que o vídeo havia sido publicado pelo seu pai, que mora em Ubá, em Minas Gerais. 

“Meu pai, de 71 anos, muito nervoso, me peguntando se eu tinha vindo para o Rio para virar prostituta. Foi um choque até processar tudo isso. Quando entrei no site e digitei meu nome, achei um vídeo meu dançando funk, de roupa, que tinha gravado para um canal de humor. O título era: A dançarina mais gostosa Pillar”, contou.

Ver essa foto no Instagram

Cerveja amanteigada

Uma publicação compartilhada por Pillar Costa (@pillarcostaoficial) em

O vídeo foi retirado do ar em menos de 24 horas após a atriz ter pedido ao site. Mesmo assim, ela conta, a relação com o pai sofreu um abalo. 

“Meu pai ficou dois meses sem falar comigo. Muita gente me apontava (o dedo0, me questionava. Descobri que já sabiam antes mesmo de me avisarem e aquilo me consumiu”, disse.

No desabafo publicado no YouTube, a atriz contou que, após o ocorrido, ela criou um projeto para ajudar mulheres que passaram pela mesma situação. 

“O que eu posso ajudar é com o apoio para que elas mostrem a cara e denunciem o que passam. Digo que não sou psicóloga, mas encaminho para parceiras que dão orientação terapêutica e jurídica. O objetivo é unir mulheres que passam passam pelo mesmo para que elas não sejam vítimas para sempre. É preciso transformar o negativo em positivo”.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados