search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Zezé Motta diz que buscou ajuda para evitar depressão na pandemia

Entretenimento

Publicidade | Anuncie

Famosos

Zezé Motta diz que buscou ajuda para evitar depressão na pandemia


Zezé Motta (Foto: Jardiel Carvalho/DIvulgação)
Zezé Motta (Foto: Jardiel Carvalho/DIvulgação)
Zezé Motta, 76, contou que precisou de ajuda profissional para lidar com as emoções que a quarentena causada pela pandemia de Covid-19 teve sobre ela.

"Vivi o tédio, a insônia, o distanciamento dos meus filhos pela Covid", contou na gravação do programa O Mundo Pós-Pandemia (CNN Brasil). "Quando percebi que tudo isso poderia resultar em depressão, busquei ajuda."

Entre os desafios enfrentados por ela nesse período estiveram a morte da mãe, Maria Elazir, aos 85 anos, e do sobrinho Luís Antonio. "O ano me trouxe duas grandes perdas, ainda preciso lidar com elas", disse.

Ela também discorreu sobre o alto índice de mortes que o coronavírus vem provocando em todo o mundo. "É muito difícil lidar com as estatísticas dos que se vão", avaliou. "A pandemia não nos deixa mentir: somos todos iguais."

A atriz e cantora, que tem no currículo mais de 55 filmes, 35 novelas e 14 discos gravados em 54 anos de carreira, falou ainda sobre como percebe hoje o preconceito racial no Brasil. "Agora é escancarado", afirmou. "A luta do racismo não pode ser apenas a pauta dos negros."

A entrevista vai ao ar na sexta-feira (25), a partir das 22h30.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados