search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Vocês sabem com quem seus filhos conversam online?
Mundo Digital
Eduardo Pinheiro

Eduardo Pinheiro


Vocês sabem com quem seus filhos conversam online?

Eduardo Pinheiro (Foto: Mundo Digital)Eduardo Pinheiro (Foto: Mundo Digital)

Em um período em que crianças e adolescentes estão ficando mais em casa e também mais conectados, os pedófilos intensificam suas ações em vários ambientes frequentados pelos menores, em especial, nas redes sociais, nos grupos temáticos do WhatsApp e nos jogos online. Profundos conhecedores dos hábitos de crianças e adolescentes, no mundo digital, os pedófilos estão se aproveitando da exposição nas redes, da falta do conhecimento dos pais sobre com quem seus filhos conversam online e da falsa impressão de segurança que uma conversa a distância pode proporcionar.

Os pedófilos perceberam que suas ações são facilitadas no ambiente virtual, devido ao paradoxo de estarem distantes (supostamente seguros) e, ao mesmo tempo, próximos aos seus alvos preferidos: crianças e adolescentes sem a devida orientação e cuidado dos pais quanto ao que os filhos fazem online.

Os criminosos desenvolveram um procedimento sistemático, composto por 4 fases, para obtenção de sucesso em suas investidas.

Os pais e os próprios menores precisam conhecer essa metodologia, para assim terem mais condições de se proteger do assédio desses delinquentes sexuais.

I - Análise – Nessa primeira fase, o pedófilo estuda a vítima para conhecer detalhes de sua vida e preferências pessoais, que possam ser utilizadas como pretexto para a fase seguinte.

II - Abordagem – Após estudar a vítima na fase anterior, o criminoso utiliza todas as informações coletadas sobre a criança ou adolescente, para se aproximar e oferecer algo que possa ser de interesse do menor.
Essa é a fase chave de todo o processo, os pais precisam orientar os seus filhos a recusarem qualquer tipo de abordagem de estranhos ou de “coleguinhas” suspeitos.

III - Envolvimento – Depois do aceite por parte da vítima, tem início o processo para estabelecer uma relação de confiança com o menor. Nessa fase, o criminoso envolve a vítima até obter a manipulação psicológica que facilitará a próxima fase.

IV - Execução – Finalmente, após a vítima estar totalmente envolvida, o criminoso inicia de fato a sua investida. Envia fotos e vídeos íntimos de menores, que seriam supostamente dele, e solicita da vítima o mesmo tipo de conteúdo. Uma vez obtido uma única foto ou vídeo, passa a utilizar esse material recebido para chantagear o menor, solicitando o envio de mais conteúdo, caso contrário irá enviar para seus parentes e amigos.

Basicamente, é dessa forma que agem os pedófilos que utilizam a internet para se aproximar das suas vítimas. O impacto desse crime é devastador na vida da família e, em especial, da criança e do adolescente vítimas de abuso sexual online.

Portanto, pais e mães, procurem saber com quem realmente seus filhos estão conversando online. A orientação mais valiosa continua sendo: “Não conversem com estranhos”.

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados