search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Você sabe o que é fandom?
Claudia Matarazzo
Claudia Matarazzo

Claudia Matarazzo


Você sabe o que é fandom?

Se não sabe nem esquente porque eu também não sabia. Mas, como todo mundo que gosta de se comunicar, ao saber que era recomendado criar e usar fandoms para aumentar o alcance de meu trabalho nas redes, tratei de me informar.

A definição da palavra na Wikipédia é essa abaixo:

Fandom é um termo usado para se referir a uma subcultura composta por fãs caracterizados pela empatia e camaradagem por outros membros da comunidade que compartilham gostos em comum.

Não refrescou muito, certo? Acredito que, na prática, fandoms sejam palavras criadas por um comunicador (leiam influencer, termo que não amo) para aumentar a abrangência do tema específico que ele trata e/ou definir - em uma palavra - determinadas pessoas, produtos, circunstâncias que remetam ao tal assunto.

Por exemplo: as pessoas costumam relacionar meu trabalho a comportamento de forma geral e, especificamente, a etiqueta.

Então, crio uma série de palavras relacionadas a isso que podem ou não agradar ou “pegar.” Como os “seguimores” da personagem Vivi Guedes, vivida por Paolla Oliveira .

Daí que já criei uma série de fandoms que, acredito, com o tempo, serão utilíssimos na hora de explicar certos procedimentos ou personagens em nosso mercado de eventos, festas e cerimonial.

Etikit – Também conhecido como eticombo, é um conjunto de coisas/ações que não nos deixa na mão, para não fazer feio. Como “flores e bombons” ou um “pretinho básico”; um jarro com suco refrescante e revistas novinhas no quarto de hóspedes... Enfim: é primo do “barba e bigode” usado antigamente.

Etifofa/o – Além de educada, preparada e informada, ela (ou ele) é também uma querida, nada arrogante e superprestativa.

Eticando – Checando se está tudo nos trinques para não atropelar a etiqueta. Nada mais do que usar o bom e velho checklist e ir tocando.

Etimala – Nossa, como tem! Sabe aquela pessoa que inventa regras que complicam em vez de facilitar a vida? E que sempre diz que “o fulaninho” diz o contrário referindo-se a um colega especialista que talvez tenha outra opinião?

O etimala não entende que quanto mais ele complica, mais despreparado parece. E que o fato de pensar diferente não desqualifica o colega.

Frescurite – Doença muito comum em etimalas: invenções e criações que os fazem extrapolar em detalhes complicadíssimos e muitas vezes grotescos, distorcendo decorações, produções visuais ou de eventos a ponto de ninguém entender nada.

A frescurite, além de muitas vezes feia, também é bastante contagiosa – além de totalmente inútil, raramente acrescentando algo de bom a vida.

Etilindo/a – É irmão dos etifofos: além de um gentleman (ou lady) uma belezura de se olhar. Em tempo: muitas vezes os etilindos não são fofos, podem ser extremamente exigentes, pois sabem que, além de craques, são lindos. Mas são muito diferentes dos etimalas.

Etidiva – Para mim, só tem uma que encarna a palavra: Costanza Pascolato. Nem precisa explicar mais, né?

Pois é. Arrisco dizer que a palavra fandom seja também um termo criado por (ou sob) o “domínio dos fãs”. Será que viajei?.
 

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Corajosa Regina (sim, a Duarte)

Para não dizer que não falei de Regina, esperei a poeira baixar, o sim se concretizar e as malcriações aparecerem. Porque eram inevitáveis. Vamos combinar: figura pública, namoradinha do Brasil, há …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Quanto tempo devemos ficar em uma visita?

Boa pergunta! Veio de uma seguidora do Instagram, preocupada em não incomodar a amiga. A resposta, como tudo na vida, depende de uma série de fatores. E como visitas ao vivo estão cada vez mais …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Bom momento para ressignificar

O começo de um novo ano merece sempre uma reflexão. Lido com palavras, gosto de pensar que nossas ações/conceitos acompanhem o seu significado, na medida do possível, ao pé da letra. Mas percebo que …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Não é amor. É força mesmo!

Estão me cobrando um comentário sobre a deserção do casal Harry e Meghan da Corte inglesa – e da Inglaterra –, perpetrando seu próprio Brexit. Andei ouvindo as opiniões nesta ou naquela roda de …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Gravidez precoce

A virgindade é a única arma da mulher!”. Cresci ouvindo essa frase de minha mãe. Essa era sua ideia de educação sexual. Parecida com a da ministra Damares. Nós, os filhos – três mulheres e um varão …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Motivos para agradecer

Não sou eu quem diz, mas a Ciência: gratidão faz bem. Como sempre, em todo início de ano ou de novo ciclo fazemos uma espécie de balanço do que foi bom e o que foi ruim – e 2019 foi um ano especialme…


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Como dar festa ao ar livre

Se você tem um quintal, uma varanda ou uma piscina, poderá desfrutar de um pouco de ar fresco e de um amplo espaço aberto enquanto relaxa e conversa com seus convidados. Faça uma lista - Inclua …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Restrições alimentares na minha ceia, e agora?

Final de ano chegou e é um momento de reunir a família e os amigos para uma refeição grande e deliciosa, cheia calorias e amor fraterno. É claro que dá trabalho, mas no final das contas é divertido …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

No Natal, desapegue, presenteie e agrade a quem você ama

Já começou o estresse do Natal. Estresse sim! Na TV só se fala em o que fazer com o décimo terceiro, reportagens sobre os presentes que se vai comprar, etc. E quem não tem salário? Nem o primeiro nem …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Bons hábitos em extinção

Boas maneiras não crescem em árvores. E precisam ser aprendidas, de preferência na infância. Com o tempo, muita coisa se perde e hoje, com a pressa permeando todo o nosso comportamento, muitas …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados