search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Vitória está há 4 dias sem morte por Covid-19

Notícias

Publicidade | Anuncie

Coronavírus

Vitória está há 4 dias sem morte por Covid-19


A coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Vitória, Tatiane Comério. (Foto: Kadidja Fernandes/AT)
A coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Vitória, Tatiane Comério. (Foto: Kadidja Fernandes/AT)
Dados do Painel Covid-19, atualizado diariamente pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), indicam que o município de Vitória completou, ontem, até o fechamento desta edição, quatro dias sem mortes em decorrência do novo coronavírus (Covid-19). As últimas foram registradas no sábado passado.

Uma das vítimas era um homem, morador do bairro Tabuazeiro, com idade entre 50 e 59 anos, que não apresentava comorbidades (outras doenças).

O outro paciente que perdeu a vida em função da Covid era morador de Jardim da Penha, tinha entre 60 e 69 anos, e apresentava problemas cardiovasculares. Os dois estavam internados.

De acordo com a coordenadora de Vigilância Epidemiológica de Vitória, Tatiane Comério, do mês de junho para agosto, a redução no número de mortes pela doença na capital chegou a 70%. Em junho, 149 morreram; e em agosto, 44.

“Em setembro, apesar de ainda não ter fechado, observamos a queda sustentada desse número de mortes. De junho para setembro, a redução foi de 64% no número de internações”, comparou.

A ampliação na testagem e no monitoramento de casos suspeitos, evitando que cheguem à fase mais crítica, são algumas das ações que contribuíram para essa redução, segundo Tatiane.

“Além disso, a Vigilância Epidemiológica e as equipes de Atenção Primária desenvolveram ações relacionadas aos pacientes que tinham comorbidades, com relação às consultas programadas, para não faltarem medicamentos de rotina, e fortalecimento das ações de prevenção de transmissão domiciliar e cuidados que precisavam ter”.

Tatiane ressalta que, como a maior parte das mortes está relacionada a comorbidades, essa população está sendo orientada quantos às medidas de prevenção e a manter as doenças de base estáveis, com o uso de medicamentos contínuos.

Ela destaca ainda a ampliação do número de leitos nos prontos atendimentos, para que esses pacientes pudessem ficar em observação, evitando que voltassem para casa precocemente.

Outra ação da prefeitura foi a criação do Centro de Testagem, na Ilha de Santa Maria, onde pacientes atendidos na rede eram agendados e encaminhados para o teste de Covid-19.

“Atualmente, temos 280 pessoas com o vírus ativo cumprindo a quarentena. Em junho, esse número chegou a 1.500”.
 


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados