search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

VÍDEO| Vandalismo destrói altar e imagens de santos em igreja de Aracruz

Notícias

Publicidade | Anuncie

Polícia

VÍDEO| Vandalismo destrói altar e imagens de santos em igreja de Aracruz


Capela de Nossa Senhora de Mont’Serrat é alvo de vandalismo (Foto: Divulgação)
Capela de Nossa Senhora de Mont’Serrat é alvo de vandalismo (Foto: Divulgação)
A Capela de Nossa Senhora de Mont’Serrat, ou “Igreja do Pelado”, como é mais conhecida em Aracruz foi alvo de vandalismo neste domingo (22). Além de ser alvo de depredações na parte externa, os vândalos destruíram também a parte interna da igrejinha, incluindo o pequeno altar, as paredes e as imagens de santos.

A ermita (pequena capela que é construída nos cumes de montanhas, entradas de cidades) está localizada a cerca de 800 metros de altura, numa pedra no alto do Morro do Pelado, em Taquaral, zona rural do município de Aracruz (ES).

Segundo informou, em nota, a Paróquia São João Batista, a capela está localizada em uma propriedade particular.

"Foi aberto um boletim de ocorrência, e estamos a aguardar mais informações do ocorrido".

A capela fica a quase 800 metros de altitude e foi construída em 1931.É ponto turístico e religioso do município, atraindo peregrinos de todo o Brasil. 

A Paróquia São João Batista divulgou uma nota lamentando a violência religiosa:

" Vemos, em todo o mundo, um crescente ataque ao cristianismo e aos seus espaços sagrados em nome de uma falsa liberdade de expressão ou mesmo de uma intolerância religiosa que não levam a nada senão ao ódio e à violência.

Diante da depredação da Capela de Nossa Senhora de Mont’Serrat, queremos, uma vez mais, proclamar Cristo como Senhor e Rei, e condenar veementemente o ato realizado, confiando às autoridades do município a cabível investigação e a apuração dos fatos. À misericórdia de Deus, confiamos a afirmação que diz “a minha casa será casa de oração”, a fim de que, neste momento de pandemia, Ele volte seu olhar para nós e nos conceda saúde de corpo e de alma.

Numa expressão de fé, convidamos todos os católicos a rezarem pela conversão da humanidade e a se unirem em oração, na próxima quinta-feira (26/11), às 19 horas, na Igreja Matriz São João Batista para uma missa de reparação ao Sagrado Coração de Jesus pelas ofensas cometidas.

Condenamos qualquer ato de intimidação exercido contra comunidades de fé para desencorajar a livre manifestação religiosa das pessoas. Denunciamos que os recentes ataques contra igrejas católicas cristãs representam uma grave violação da liberdade de religião e expressão. Exigimos que o Estado cumpra sua função protetora de cidadania".

História da Capela de Nossa Senhora de Mont’Serrat

A capela foi construída no ano de 1931, por Euvaldo Soares Souza, o “Osvaldo Baiano”, como “meio de fugir das desgraças do mundo”, como costumava dizer a seus poucos amigos, pois não concordava com o procedimento das pessoas de sua época.

Um pouco abaixo da igrejinha, ao pé da pedra, ele construiu uma casa, onde passou a morar, “para ficar longe do mundo perdido”, com a família até a sua morte, no dia 7 de abril de 1957.

O acesso capela é feito por uma transversal à rodovia Aracruz a Guaraná, antes do povoado de Taquaral. É possível ir de carro até o pé do morro, onde está a residência de Bianor Souza, filho de Osvaldo Baiano. Dali até o alto da pedra só pode subir pé, por um caminho rústico e íngreme, que exige muito esforço físico dos caminhantes, num desafio permanente aos curiosos e à fé dos devotos de Nossa Senhora de Monte Serrat.

No caminho para chegar à igreja, é possível ver as ruínas da casa em que Osvaldo Baiano residiu até a morte, com a família. Do alto da pedra é possível ver quase todo o município de Aracruz, destacando-se os eucaliptais da Suzano, fábrica de polpa de celulose e a rodovia BR-101.


 

Entrar no grupo do WhatsApp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna Online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados