search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Venda de remédio contra impotência bate recorde

Notícias

Cidades

Venda de remédio contra impotência bate recorde


A procura por remédios contra a impotência sexual bateu recorde nas farmácias do País. O aumento das vendas atingiu a marca de 36,72% no ano passado em relação a 2018, segundo uma pesquisa feita com dados gerais do mercado farmacêutico.

A tendência, segundo o estudo, é de que a busca seja ainda maior este ano.
“Em abril, cai a última patente deste medicamento, o que pode ajudar ainda mais na popularização e na procura. Além disso, a fabricação será ainda mais facilitada e, consequentemente, os preços estarão mais competitivos”, afirmou Robson Parzianello, porta-voz da Farmácias APP, responsável pela pesquisa.

O  Urologista Fernando Chagas disse que a automedicação é um grande risco à saúde. O paciente pode até infartar (Foto: Divulgação)
O Urologista Fernando Chagas disse que a automedicação é um grande risco à saúde. O paciente pode até infartar (Foto: Divulgação)
Especialistas apontam diversos fatores para explicar essa procura, como a discussão mais aberta sobre o problema, a sexualidade maior entre os idosos, a automedicação e a maior oferta de produtos.

Para o urologista Fernando Chagas, o assunto é mais discutido atualmente, aguçando a curiosidade e aumentando a busca.
“Além disso, no Brasil se compra sem receita médica. Basta chegar em uma farmácia que o farmacêutico oferece um leque de medicações”, afirmou urologista.

Essa prática, no entanto, pode ser perigosa para a saúde, segundo Chagas. “Existe um grande risco, pois a medicação tem seus efeitos benéficos e maléficos. É um tipo de medicação que é vasodilatadora, ou seja, os vasos se abrem. Isso pode provocar uma baixa da pressão arterial, e dependendo do paciente, ele pode desmaiar ou infartar”, disse.

Outra preocupação é a busca desse tipo de medicamento por jovens que desejam aumentar o desempenho sexual, o que não é a função do remédio nesse caso.

“Muitas vezes, a pessoa vai na indicação de um amigo, mas cada indivíduo é um universo. O que é bom para um, pode não ser para o outro. A medicação pode ser diferente e quem vai avaliar a causa do problema e a situação é o especialista. É fundamental a avaliação médica”, ressaltou Chagas

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 15 milhões de brasileiros sofrem com a disfunção erétil. Segundo especialistas, pode ser um sinal de doenças crônicas em atividade ou mesmo problemas psicológicos. As causas são variadas, podendo estar relacionadas a problemas circulatórios, neurológicos, hormonais e até uso de drogas.

Vida saudável é a melhor prevenção

Aumento O crescimento das vendas de remédios contra impotência sexual atingiu a marca de 36,72% no ano passado. A marca é recorde.
A pesquisa foi feita com dados gerais do mercado farmacêutico.
Impotência De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 15 milhões de brasileiros sofrem com a impotência sexual.
As causas são variadas, podendo estar relacionadas a problemas circulatórios, neurológicos, hormonais, psicológicos, anatômicas ou estruturais e até uso de drogas.
hábito de vida saudável é o melhor caminho para se prevenir, segundo a Sociedade Brasileira de Urologia.
O Tratamento vai depender da causa. A orientação é para que o paciente procure um médico antes de fazer o uso de medicação.

Fonte: Farmácias APP e Sociedade Brasileira de Urologia.
 


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados