search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Uso em excesso de celular e computador agrava 10 dores

Notícias

Publicidade | Anuncie

Cidades

Uso em excesso de celular e computador agrava 10 dores


Em tempos de pandemia de coronavírus e isolamento social, o computador e o celular ganharam mais espaço na vida de muita gente, seja para o trabalho, para conectar pessoas distantes ou mesmo para aulas remotas.

Junto com o excesso de uso da tecnologia, médicos alertam que têm se agravado 10 tipos de dores. Inflamações na região do punho, cotovelo e ombros, chamadas tendinites, além das dores nas costas, no pescoço, nas pernas e de cabeça, estão entre as mais comuns.

Bernardo Terra relaciona postura inadequada à causa da doença (Foto: Divulgação)
Bernardo Terra relaciona postura inadequada à causa da doença (Foto: Divulgação)
O ortopedista Bernardo Terra, da Unimed Vitória, afirmou que houve um aumento de 40% na procura por atendimentos relacionados a dores musculares em decorrência de má postura no uso de aparelhos eletrônicos por muito tempo durante o home office.

“A maioria está localizada na região cervical e posterior do ombro. Geralmente, a posição com a cabeça projetada para frente causa um desequilíbrio na musculatura, favorecendo o aparecimento de contraturas musculares e nódulos nessas regiões”, explicou.

Ele acrescentou que os problemas acarretados pela má postura ficaram mais frequentes com a intensificação do home office e das aulas remotas.

O ortopedista Marcos Robson citou que um dos principais problemas tem sido a chamada “síndrome do pescoço de texto”, causada pelo tempo ao celular, olhando para baixo. “As pessoas ficam com o celular na altura da barriga, o que faz com que a musculatura do pescoço fique estirada”.

Cirurgião da coluna e ortopedista do Ráquis - Instituto da Coluna, Lourimar Tolêdo destacou que houve aumento tanto no número de pessoas que não tinham dor e começaram a apresentar, quanto de quem já tinha feito tratamento e voltou a sentir dores.

“Entre os fatores que fazem as dores se agravarem nesta época estão a falta de exercícios físicos, a ansiedade, além do trabalho em casa, sem estrutura adequada”.

O angiologista e cirurgião vascular André Campana citou que os casos de dores e inchaço nas pernas também aumentaram. “Para quem tem predisposição, há risco de evoluir para trombose”, alertou.

Suelem Magnago (Foto: Dayana Souza/AT )
Suelem Magnago (Foto: Dayana Souza/AT )


Lombar e ombro


Ficando mais tempo livre em casa, a administradora Suelem Magnago, 38 anos, está usando muito mais o celular e o computador, uma vez que, sem contato físico na pandemia, praticamente tudo é resolvido por meio dessas ferramentas.

Com o trabalho em home office, ela também adaptou um escritório que não tem a estrutura ideal, como altura da mesa.

“Comecei a sentir dor lombar (na parte inferior da coluna) e no ombro direito. A fisioterapeuta sugeriu que eu faça alongamento a cada hora e mantenha a tela do computador na altura dos olhos”.


Saiba mais


1 - Lombalgia

  • A dor na região lombar (parte inferior da coluna) é uma das mais comuns após longo período sentado em frente ao computador.

  • As principais causas são posições inadequadas, longo período sentado sem intervalos e enfraquecimento da musculatura paravertebral (ao lado da coluna).

2 - Dor em punhos

  • Tem sido comum. Uma posição correta de mãos e punhos é muito importante na prevenção de dores. Usar acessórios de suporte pode ajudar na prevenção de lesões.

3 - Dor no pescoço

  • A dor cervical é mais comum ocorrer devido ao excesso do uso de smartphones e tablets.

  • O posicionamento mantido do pescoço flexionado gera uma sobrecarga de peso da cabeça a ser sustentado pelo pescoço.

4 - Dor em dedos e mãos

  • Longos períodos digitando no celular ou tablets, bem como em movimentos repetidos dos dedos, podem desencadear dores devido a tendinites, inflamação em articulações das mãos e outros tipos de dores crônicas.

5 - Ombros

  • "O 'novo normal' disparou a procura por atendimentos para dores. O tratamento adequado é fundamental para controle e prevenção”, Carla Cáspar, anestesiologista com área de atuação em dor (Foto: Divulgação)
    A atual prática de home office tem prejudicado muito os ombros dos trabalhadores.

  • Posicionamento inadequado da altura da mesa, cadeira e posição do computador podem desencadear esforço em um ou ambos ombros, gerando inflamação, tendinopatias e outras lesões.

6 - Dor de cabeça

  • A Cefaleia é uma das mais frequentes decorrentes de excesso de computador e celulares. Pode ocorrer por diversos fatores e somente chegando ao diagnóstico correto é possível o tratamento adequado.

  • As principais causas são sobrecargas na nuca e no pescoço, iluminação inadequada (ambiente escuro e tela muito clara), longo período focando os olhos nas telas.

7 - Dor em diversas articulações

  • O uso de computador e celular deitado na cama ou em sofás pode desencadear dores em diversas articulações ao mesmo tempo. O ideal é não usar o aparelho enquanto estiver deitado na cama ou sofá.

8 Dor em olhos

  • Tem ocorrido com frequência e decorre de longo período com olhos focados em telas. O hábito de olhar para objetos distantes ou para o horizonte regularmente ajuda na prevenção.

9 Dor nas pernas

  • Longos períodos sentado e a falta de ingestão de líquidos têm provocado dores nas pernas e sensação de peso, por causa da má circulação do sangue.

10-  Bursite

  • A inflamação das bursas – pequenas bolsas que ficam entre ossos, músculos e tendões – tem sido mais comum no quadril e ombro, causando dores. Elas também são causadas pelo longo tempo parado e com uma postura inadequada.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados