search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

“Única forma de sobreviver é mantendo o alto-astral”, diz Renata Castro

Entretenimento

Publicidade | Anuncie

Entretenimento

“Única forma de sobreviver é mantendo o alto-astral”, diz Renata Castro


Não está sendo fácil! Tanto que nem aqueles que fazem rir estão de bom humor o tempo todo durante a quarentena.

O casal de humoristas Léo Castro e Renata Barbosa estão juntos há um ano. (Foto: Sérgio Santoian/Divulgação)
O casal de humoristas Léo Castro e Renata Barbosa estão juntos há um ano. (Foto: Sérgio Santoian/Divulgação)
Mas, calma! O casal Léo Castro. 33 anos. e Renata Castro Barbosa, 46, tem uma dica para que o desânimo passe longe do dia a dia.

“Acho que a única forma de sobreviver a este momento é mantendo o alto-astral”, aconselha Renata, a Bia, do casal Bia e Maurício, sucesso com a série “DR - Diálogos Risíveis”, do humorístico “Zorra”.

Já Léo reconhece que, às vezes, rola uma “bad”, mas que o humor ajuda a superar esses momentos.
“Nós temos a capacidade de girar a chave de rir, de buscar o engraçado, o risível nas coisas”, diz.

E, enquanto a vacina não chega, os dois apresentam o espetáculo de comédia online “Antes da Vacina”, que tem sessão na sexta-feia (30), às 22h, com participação dos comediantes Barbosa e Aarhon Pinheiro, além do ator Babu Santana.

E depois da vacina? Quais são os planos do casal? “Nós não temos a menor ideia!”, brinca Léo. “Vamos continuar juntos e trabalhando juntos!”, torce Renata.

“Repetimos: 'Tudo vai passar amanhã'”

AT2 Na vida real, vocês vivem juntos. Na ficção, também. O que os personagens Bia e Maurício trazem de vocês?

Renata Eles são muito mais neuróticos e briguentos do que nós. Mas é sempre divertido poder vivenciar os questionamentos deles. Aqui é tudo bem mais tranquilo, ainda bem! (Risos)

Léo Não tem nenhuma cena que a gente tenha, de fato, passado. Mas adaptamos e colocamos uma lente de aumento, sim. Me lembro de ter matado uma barata voadora e ter pensado: “Se isso fosse cena, seria muito legal se a Bia tivesse matado a barata e não o Maurício”. Daí veio a cena da barata que fez sucesso no “Zorra” e no Gshow.

Para muitos casais, esta quarentena é uma prova de fogo. Como tem sido conciliar vida e trabalho 24h juntos?

Léo Essa, para mim, é uma parte que faz toda a diferença. Nós amamos nosso trabalho. Então, um assunto de trabalho é diversão. Acho que outros casais podem ter isso como ponto frágil, mas confesso que isso, para nós, é ponto forte.

Renata Inexplicavelmente. Ou melhor, com várias explicações, estamos tirando de letra!

Dá para ver humor na vida durante a pandemia? Nos primeiros meses, Renata contou ao AT2 que havia adotado gato.

Renata Sim! Por aqui, adotamos um gato, fazemos muita ligação de vídeo, ajudamos os amigos e repetimos o mantra: “Isso tudo vai passar amanhã” várias vezes ao dia, há mais de cem dias...

Léo E vendo muitos programas de TV onde se reformam casas horrorosas. Estamos cozinhando coisas que normalmente nunca faríamos. Viramos os reis dos tutoriais de comida! (Risos)

É uma oportunidade dessa parceria virar programa de culinária? Poderia ser algo engraçado ou mais sério e sofisticado?

Renata Sério e sofisticação, não há menor condição! (Risos) Talvez a gente possa até fazer, mas para se divertir. Porque a gente copia o tutorial mesmo. Inovamos pouco.

Léo Talvez tenha que ter alguém chique para me ensinar a ser chique o suficiente para fazer um programa chique.

Renata Não tenho a menor dúvida que a gente não mantém esse chique em cinco segundos. E prefiro o Léo ao Rodrigo Hilbert na cozinha!

Léo É, eu também me prefiro!

Renata Humilde! (Gargalhadas)

O QUE ELES DIZEM

Correria

Para Renata Castro, a maior dificuldade de atuar em casa durante a pandemia é a sobrecarga de trabalho. “Tem de fazer todas as funções e, do nada, o diretor falar: 'Ação'. (Risos) Temos que montar a luz, botar o figurino, colocar perucas, bigodes, arrumar o cenário, testar o som, posicionar a câmera, colocar o microfone para gravar, dar o play na câmera, bater a claquete, ficar atentos à continuidade e esperar aprovar tudo isso pelos profissionais responsáveis, por videoconferência. E, depois, lembrar o texto e atuar! Simples assim!”, desabafa, aos risos.

Descobertas

Juntos há um ano e trancados em casa há seis meses, Léo e Renata contam que descobriram várias coisas que não sabiam um do outro.

“Descobri que ele dizia não gostar de praia, mas gosta! Que acorda de mau humor, mas, às vezes, um cafuné resolve”, abre o jogo Renata. “A Rê é muito carinhosa. Descobri que passar pelos momentos difíceis com ela torna tudo mais fácil. Mas ela é teimosa, viu?”, completa Léo.

“Filhos?”

Quando o assunto é filhos, os dois mantêm o bom humor. “Filhos?”, questiona Renata. “Nem pensar!”, responde Léo. “Já temos os nossos”, diz Renata, mãe do João, de 15 anos, fruto de seu relacionamento com Bruno Mazzeo. “Um casal. Fechou!”, conclui Léo, que é pai da Carolina, de 6 anos.

Entrar no grupo do WhatsApp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna Online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados