search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Turistas brasileiros são presos por defecarem em área sagrada de Machu Picchu

Notícias

Internacional

Turistas brasileiros são presos por defecarem em área sagrada de Machu Picchu


Seis turistas, quatro homens e duas mulheres, de diferentes nacionalidades, sendo dois brasileiros, foram presos no último domingo (12) em Machu Picchu, no Peru. Segundo autoridades locais, os turistas entraram ilegalmente numa área restrita do Parque Arqueológico Nacional de Machu Picchu, o Templo do Sol. No local foram encontradas fezes e danos ao patrimônio. 

O Templo do Sol está localizado do setor religioso, no sítio arqueológico de Machu Picchu (Foto: Pixabay)
O Templo do Sol está localizado do setor religioso, no sítio arqueológico de Machu Picchu (Foto: Pixabay)

De acordo nota oficial do chefe de polícia de Cusco, Wilbert Leyva, foi verificada “a fissura de um elemento lítico, que caiu de um muro e provocou uma fenda no piso” do local.

Ainda segundo informações das autoridades locais, o cidadão argentino revelou ter tirado uma pedra do muro do Templo do Sol, que ao cair de uma altura de seis metros causou uma fissura no piso do local histórico. A Diretoria Regional de Cultura de Cusco também informou que alguns deles defecaram no Templo.

O Templo é um espaço sagrado construído há seis séculos com blocos de granito para o culto ao deus Sol, a maior divindade inca, e foi construído com blocos de granito cerca de seis séculos atrás.

De acordo com o jornal chileno La Republica, cinco dos envolvidos serão deportados, mas não especificou quando isso irá acontecer. Apenas o turista argentino, que tem 28 anos, está detido na delegacia de Machu Picchu.

Os policiais levaram os outros cinco detidos à Unidade de Segurança do Estado de Cusco, a 80 quilômetros de Machu Picchu, onde as autoridades de imigração e o judiciário decidirão quais os próximos passos do processo. 

A lei peruana estabelece penas de ao menos quatro anos para quem causa danos ao patrimônio cultural.

A Unesco declarou Machu Picchu Patrimônio da Humanidade em 1938 e, em 2007, o local foi escolhido como uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno em uma pesquisa global na Internet.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados