X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

"Faltava um mês para ele se formar. Era o sonho dele", diz pai de vítima de acidente

| 07/12/2019 18:45 h | Atualizado em 09/12/2019, 07:28

Imagem ilustrativa da imagem "Faltava um mês para ele se formar. Era o sonho dele", diz pai de vítima de acidente

Um acidente entre uma carreta bitrem e um carro de passeio deixou três jovens mortos e dois feridos, no quilômetro 172 da BR-262, em Iúna, por volta das 6h de ontem.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), cinco jovens com idades entre 20 e 27 anos estavam no Chevrolet Classic preto, com placa de Ibatiba, e que seguia em direção a Vitória, quando o motorista teria perdido o controle da direção do veículo.

O veículo invadiu a contramão, passou por uma canaleta e voltou para a pista, sendo atingido na lateral esquerda pelo caminhão. 

A PRF informou que os três jovens morreram no local do acidente. Eles foram identificados como Henrique Ávila de Medeiros e Matheus Vieira Moreno, ambos de 27 anos, e Renato Mendes Batista, 26 anos.

Já os dois sobreviventes, identificados apenas como Israel e Luca, foram levados para o Pronto-Socorro de Ibatiba, por ambulâncias locais.

Segundo funcionários, Israel teve ferimentos leves e ficou em observação na unidade. Já Luca teve duas fraturas e foi transferido para o antigo São Lucas, em Vitória.

O pai de Matheus, o vendedor Monoel Simões Moreno, de 56 anos, contou que o filho estava prestes a realizar o sonho de concluir a faculdade de Engenheria de Produção. "Faltava pouco mais de um mês para ele se formar. Apesar de ter uma banda e fazer apresentações tocando violão e guitarra, ele queria exercer a profissão de engenheiro, era o sonho dele".

O pai também disse que o rapaz tinha feito uma apresentação antes do acidente. "Ontem (sexta, 6), ele se apresentou em um barzinho em Ibatiba. Depois, (Matheus e os amigos) foram para algum lugar. Eles estavam voltando para casa quando aconteceu o acidente. Eu estrava trabalhando quando sopube da morte do meu filho. A notícia veio do Pronto-Socorro de Ibatiba, minha filha trabalha como enfermeira lá. É uma notícia péssima, não tem explicação para como me senti, não desejo isso para ninguém".

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS