search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Touca gelada para evitar perda de cabelo em pacientes com câncer

Notícias

Publicidade | Anuncie

Cidades

Touca gelada para evitar perda de cabelo em pacientes com câncer


Iracema e Ana Karla  utilizaram a “touca gelada” durante a quimioterapia, na Santa Casa de Misericórdia (Foto: Divulgação)Iracema e Ana Karla utilizaram a “touca gelada” durante a quimioterapia, na Santa Casa de Misericórdia (Foto: Divulgação)

O tratamento de câncer é uma batalha para os pacientes que também precisam enfrentar os efeitos colaterais da medicação. Segundo os médicos, cerca de 8% dos pacientes não fazem o tratamento adequado com medo da queda do cabelo.

Para minimizar a queda dos fios, a Santa Casa de Misericórdia de Vitória iniciou ontem um tratamento com “toucas geladas”, pela primeira vez com pacientes do Sistema Único de Saúde no Estado. O procedimento foi possível através da campanha de doação e arrecadação “Juntos pela Mama”.

Segundo o oncologista da Santa Casa, Vitor Fiorin, a touca funciona como capacete, que resfria o couro cabeludo do paciente.

“Em temperaturas mais baixas, os vasos sanguíneos se fecham e diminuem o fluxo de sangue nesta região. Com isso, enquanto a quimioterapia circula no corpo, chega uma quantidade pequena no bulbo capilar, que é onde nasce o cabelo”, explicou Vitor.

A touca, conectada a uma unidade de refrigeração, é colocada na cabeça do paciente cerca de 30 minutos antes da quimioterapia, mantida durante e em torno de uma hora e meia após a infusão das drogas, dependendo do protocolo adotado. O sistema resfria o couro cabeludo a uma temperatura em torno de 20°C.

“Nesse contexto, não se trata só do cabelo como estética, mas é a capacidade do paciente se olhar no espelho e se reconhecer”, disse Vitor.

A terapia não é indicada em casos de câncer hematológicos, como a leucemia, para pacientes com metástase no cérebro ou para alguma alergia ao frio.

Para Iracema Krauz Hedmann, a touca é uma esperança. Ao lado de Ana Karla da Silva, as duas deram início ao procedimento.

“Hoje foi minha primeira quimioterapia. A gente se preocupa tanto com o cabelo. Foi bom ter essa oportunidade”, disse Iracema.

Para a oncologista Edelweiss Soares, o procedimento faz com que o paciente se sinta mais incluído na sociedade. “Temos de lutar para que o tratamento seja olhado com bons olhos pelo paciente”, afirmou.

Já para a oncologista Carolina Conopca, o grande benefício é a autoestima do paciente. “Não há prejuízo nenhum no tratamento, ele é eficaz e consegue reduzir bastante a queda de cabelo”.

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) informou que irá analisar a experiência com a touca para estudar a implantação do serviço em outras unidades hospitalares.