search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Tomate sobe 160% e chega a R$ 10 o quilo nos supermercados

Notícias

Publicidade | Anuncie

Economia

Tomate sobe 160% e chega a R$ 10 o quilo nos supermercados


Tomate chega a quase R$ 10 (Foto: Leitor - 27/10//2020)
Tomate chega a quase R$ 10 (Foto: Leitor - 27/10//2020)
O consumidor que levou um susto nos últimos meses com o aumento de alguns itens no supermercado, como o pacote de arroz e o litro de óleo, começa a sentir no bolso o peso do tomate.

Nas últimas semanas, o valor do fruto nas gôndolas dos supermercados disparou e, em alguns locais, chega a custar cerca de R$ 10 o quilo.

De acordo com informações da Centrais de Abastecimento do Espírito Santo (Ceasa-ES), a caixa com 20 quilos de tomate, que era comercializada por cerca de R$ 50, nos meses anteriores, agora saltou para R$ 130, o que representa um aumento de 160%. 

A central informa que esse aumento é algo normal nos meses de outubro e novembro por conta da redução na produção - diariamente, 150 mil quilos do fruto chegam à Ceasa, mas essa quantidade cai para 60 mil agora.

O presidente da Associação Capixaba de Supermercados (Acaps), João Falqueto, explica que o disparar do preço do tomate nos supermercados tem a ver com a mudança no tempo.

"Houve aquele sol forte que deu no mês passado, o tomate amadureceu muito rápido e agora ficou sem sol e ele não amadurece, não chega à coloração. Ele precisa da água, mas também dos raios solares", disse.

O forte calor no fim de setembro e início de outubro também atingiu outros estados do Sudeste, como Rio de Janeiro e São Paulo, e Centro-Oeste, como Goiás, que são grandes produtores do fruto e tiveram a colheira prejudicada.

A saída encontrada nesses locais foi comprar o tomate de outros lugares, como o Espírito Santo, causando um desabastecimento para os capixabas, segundo Falqueto.

"O calor influenciou no dia na nossa sensação térmica e agora está influenciando no preço e no bolso", analisou o presidente da Acaps. 

A Ceasa informa que abobrinha, vagem e batata são outros exemplos de produtos que também sofreram um aumento no preço nas últimas semanas, mas isso não se compara ao que ocorreu com o tomate. 

O presidente da Acaps afirma que o consumidor precisa buscar alternativas para ver o preço do fruto abaixar já que não há uma previsão disso ocorrer. “Buscar alternativa para deixar o tomate um pouco de lado uma semana ou duas. Qualquer redução de consumo ajuda a evitar impulsionar o mercado. Quem rege o mercado é o consumo”.

Entrar no grupo do WhatsApp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna Online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados