search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Tensão nos bastidores cresce em Porto Alegre
Coluna do Estadão

Andreza Matais e Marcelo de Moraes


Tensão nos bastidores cresce em Porto Alegre

Integrantes das linhas de frente das campanhas de Sebastião Melo (MDB) e Manuela D'Ávila (PCdoB) acreditam que o brutal assassinato de um homem negro num supermercado de Porto Alegre deve acabar contaminando a reta final da campanha pela prefeitura da capital gaúcha.

Os candidatos correram para declarar repúdio à morte de João Alberto Freitas. Apesar de o efeito ainda ser incerto na disputa, ambos veem com cautela o episódio que tomou proporções nacionais. Pesquisas recentes mostram Melo à frente de Manuela.

Disputa. Há temor entre apoiadores de Sebastião Melo (MDB) de que Manuela D'Ávila (PCdoB) aborde politicamente o episódio. Em especial, por conta do apoio recebido pelo emedebista do candidato derrotado no primeiro turno Valter Nagelstein (PSD).

Polêmico. Nagelstein foi muito criticado por ter dito: “Basta a gente ver a composição da Câmara, cinco vereadores do Psol. Muitos deles, jovens, negros. (...) Sem nenhuma tradição política (...) e com pouquíssima qualificação”.

Fique aí. A campanha de Melo tenta afastá-lo ao máximo de Nagelstein. No perfil do emedebista nas redes sociais, internautas cobram a falta de reprimenda dele à fala do candidato derrotado. Apesar de não ser bolsonarista, Melo tornou-se o nome da direita na capital gaúcha.

Linha tênue. A campanha do PCdoB, contudo, vê a tragédia com muita cautela e não planeja explorar eleitoralmente o episódio, porém não deixou de se manifestar. Manuela e Melo lamentaram publicamente a morte de João Freitas.

Parada. Manuela participou de uma reunião com a bancada negra de Porto Alegre. Melo cancelou suas agendas públicas em sinal de “luto” ontem.

Como nos... Porém, neste último final de semana antes do segundo turno, Melo promete atuar como um político “das antigas” do MDB, partido ao qual está filiado desde os anos 80.

...velhos tempos. O candidato quer gastar a sola do sapato nas ruas de Porto Alegre pedindo votos, sem economizar nas agendas.

Escolhido. Claudio Lottenberg foi eleito, por unanimidade, para assumir a presidência da Confederação Israelita do Brasil (Conib). Em seu discurso de posse, pediu um minuto de silêncio em solidariedade a João Alberto Freitas.

Metas. Lottenberg afirmou estar diante de uma desafiante missão: representar a comunidade judaica e coordenar os movimentos políticos dentro de um equilíbrio que fortaleça o bem-estar e as relações do Brasil com o Estado de Israel.

Não agora. Nas redes sociais, a secretária estadual de Desenvolvimento Econômico de SP, Patrícia Ellen, disse que, neste momento, não pensa nas eleições de 2022. Conforme mostrou a Coluna, o nome dela já é cogitado nos bastidores para a sucessão de João Doria ou para ser vice do tucano, seja em chapa à reeleição ou na disputa do Planalto.

Ciumeira. Embaixadores dos países europeus em Brasília sinalizaram que não querem perder protagonismo político-ambiental para o presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden. Alegam que estão nessa trincheira há mais tempo.

Click. O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), foi a novidade do programa de TV de Duarte Júnior (Republicanos), candidato dele à prefeitura de São Luís.


Pronto, falei!


"Sou meio preto e acho que os brasileiros têm de admitir que, como grupo, todos somos. Não pode ficar como vinha e vem sendo. Tem de ser diferente”, Caetano Veloso, músico e escritor.

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Coluna do Estadão

Aneel multa as vítimas pelo apagão no Amapá

A agência reguladora Aneel aplicou multa de R$ 5,7 milhões na população por causa do apagão no Amapá em novembro. O multado, oficialmente, é o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), mas, …


Exclusivo
Coluna do Estadão

A morte de Covas e o “fratricídio” tucano

A morte de Bruno Covas abate o PSDB paulista em momento de instabilidade interna, cingido em correntes e vivendo o ocaso de líderes históricos. No curto prazo, a ausência de jovem neto de Mario …


Exclusivo
Coluna do Estadão

“Nem-nem” carente de posições e conteúdo

Pesquisas às quais partidos de centro tiveram acesso praticamente põem fim ao sonho de construir uma candidatura única que encarne a “terceira via”. O grupo dos “nem-nem” é heterogêneo, com mais …


Exclusivo
Coluna do Estadão

Ricardo Nunes afirma ser “100% Bruno Covas”

Ricardo Nunes (MDB) está sendo orientado por assessores, amigos e políticos mais experientes a não promover mudanças radicais no primeiro escalão da Prefeitura de São Paulo, montado por Bruno Covas …


Exclusivo
Coluna do Estadão

CPI, “trator” e picanha: o desgaste de Bolsonaro

Esta semana comprova que os governistas não estão dando conta de estancar o desgaste de Jair Bolsonaro nem nas redes sociais, arena onde o Presidente e seus apoiadores quase sempre mantiveram a …


Exclusivo
Coluna do Estadão

“Apagão” de vacinas já preocupa secretários

Não poderia ter sido pior o timing do depoimento de Fábio Wajngarten à CPI da Covid: no dia em que o ex-Secom forneceu aos senadores documento indicando que Jair Bolsonaro negligenciou as negociações …


Exclusivo
Coluna do Estadão

Governo vê Aras como “goleiro” no “tratoraço”

O clima é tenso no Palácio do Planalto, contrariado com o depoimento de Barra Torres à CPI do Senado e pressionado por causa do “tratoraço” revelado pelo Estadão. Por ora, o entorno de Jair …


Exclusivo
Coluna do Estadão

O tratoraço, as traições e “diáspora” do DEM

A série de reportagens do Estadão revelando o “tratoraço” (orçamento secreto) do governado federal e o inchaço da Codevasf ajuda a explicar o ocaso de Rodrigo Maia na presidência da Câmara, as …


Exclusivo
Coluna do Estadão

Imunidade de rebanho no horizonte da CPI

A CPI da Covid quer derrubar uma velha máxima do Congresso, a de que todo mundo sabe como começa, mas não como termina o trabalho de uma comissão parlamentar de inquérito. Ou seja, a CPI em …


Exclusivo
Coluna do Estadão

Militares preocupados com destino de Pazuello

Importante general da reserva resume o sentimento dos militares em relação ao destino de Eduardo Pazuello: teme que o ex-ministro da Saúde seja preso, como uma espécie de “prêmio” aos senadores da …