search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Sustentabilidade, qualidade e muita liberdade na moda!
Claudia Matarazzo
Claudia Matarazzo

Claudia Matarazzo


Sustentabilidade, qualidade e muita liberdade na moda!

Venho de uma família de privilegiados que sempre tiveram acesso à qualidade: em roupas, viagens, comida, objetos de decoração, etc. Com isso, as roupas e objetos passaram por gerações: Simmmmm!

Os almoços de domingo são sobre toalhas da minha avó Camilla: italianas, em linho bordado, estão durando mais de 80 anos, pois eram do seu enxoval. Vou substituir por quê? (e pôr o quê?) uma vez por semana vão para a máquina e, um dia, vão acabar, tendo cumprido a missão.

Meu marido tem lindas gravatas de seda do meu tio-avô Costabile, que o presenteou com uma caixa delas (hoje, já não se usa tanto, mas são lindas).

No alto verão, uso camisolas de renda e seda pura do enxoval de minha mãe (mais de 60 anos), que cortei. Maravilhosas, elas fazem sucesso sendo usadas como regatas, à noite.

Uma seguidora me perguntou se não repito roupa: percebi que, na verdade, repito sim, e muito: mas... tenho um estilo clássico que “enfeito” e vario com acessórios desses, que herdei e guardo há décadas.

Tenho brincos e cintos de mais de 30 anos – e superatuais, da Rose Benedetti, a primeira designer de bijuterias do Brasil. Desses não desapego... Daí, a impressão de que nunca repito nada.

Estamos na era líquida – Roupa nova é coisa do passado. O fast fashion trouxe o excesso e a conscientização de que 10% da emissão de gás carbônico são gerados pelo mundo da moda, levando a priorizar a sustentabilidade e tentar o equilíbrio.
Faz sentido quando sabemos que são produzidas 15 roupas ao ano/pessoa – e marcas estrangeiras queimam toneladas de roupas e acessórios, para evitar baixar o preço e perder prestígio.

O objetivo agora é aumentar o ciclo de vida das roupas. Na pandemia, percebeu-se como a qualidade é importante.

Barreiras conceituais e preconceitos em comprar roupa usada estão sendo derrubadas. Brechós aumentaram e começam a pagar melhor pela sua roupa usada. A cultura do desapego cresceu.

Pensamento jovem – Consumidores de 18 a 25 anos querem marcas que tenham compromisso social, sustentabilidade, responsabilidade e transparência. É o lowsumerism (baixo consumo). Há um esforço para valorizar o conserto de roupas e a durabilidade das peças.

Aluguel de peças. Paga-se uma assinatura/mensalidade e o cliente pode usar por um tempo produtos de marcas/objeto do desejo. O cliente fica um mês com a peça (ou 3, 4), montando looks diferentes e, depois, troca por outro conjunto de itens. Várias amigas que aderiram a esse “closet virtual” estão amando, pois misturam com peças xodós que têm em casa e variam muito mais.

Exercício e desafio – A jornalista Lilian lançou o desafio: um look por semana em reação ao look do dia das blogueiras. A geração Z estava vivendo angústias enormes, pois não poderiam aparecer com roupas repetidas. Pensavam que o bom é o novo. O desafio é usar as mesmas peças por uma semana.

Não é que é divertido? Experimente: a experiência permite aprendizado e evolução. E liberta muuuuito!


 

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Dicas para acertar no currículo!

Mandar o currículo não basta, mas ajuda muito se ele estiver no ponto certo de apresentação e com as informações organizadas de forma a chamar a atenção. Como está tudo muito difícil, não custa …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Farofa, farinha ou paçoca?

O título, claro, é uma provocação, uma vez que a farofa é feita com farinha e a farinha é a base de um sem-número de delícias da nossa gastronomia. Já paçoca é uma variação do nome da farofa: no …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Privacidade, um resgate urgente!

Na era dos reality shows e das redes sociais, falar em privacidade é uma ousadia, bem sei. Mas, é necessário. O conceito é bem conhecido dos verdadeiramente elegantes. Pena que, a cada dia, sejam …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

“Sofagate”, a gafe diplomática

O vídeo correu o mundo: políticos, feministas, cerimonialistas e mulheres de todo o planeta o analisaram com diferentes interpretações. Nele, um encontro entre a presidente da Comissão Europeia, …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Autossabotagem na pandemia

Só mesmo a autossabotagem para explicar a enxurrada de sentimentos contraditórios que vem nos afligindo nesta pandemia. Ok, o momento é delicado, estamos todos fartos de notícias ruins, mas nada – …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Histórias de violência no paraíso

Mergulhada que estou na História do Brasil, para um novo livro de receitas regionais e o “como comer e servi-las”, fiz uma imersão na obra “ História da Gente Brasileira”, da fantástica historiadora …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Festa de criança após pandemia

Diga que sou mal-humorada, mas, se tem uma coisa que no pós-pandemia, vou adorar ver mudar para a versão mais enxuta – e sem aglomeração – serão as festas infantis. Sempre fugi desses micos o …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Regras de etiqueta em tempos de mudanças

Muita gente me pergunta se, com a rapidez das mudanças, ainda se usa isso ou aquilo e se é preciso prestar atenção em “etiqueta”. Calma! Etiqueta ajuda sempre – e nunca faz mal. Ela simplifica e …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

A mulher e as cafajestadas

Na coluna da semana e do mês da mulher, vamos falar sobre homens – e você logo entenderá o motivo. Há uma frase anônima que diz “existem os cafajestes e existem os homens”. Verdade, embora acrescente …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Viagens pós-pandemia

Você já pensou para onde quer ir assim que puder viajar sem tantos protocolos de segurança e já vacinado? Aposto que sim, como muita gente. E fico meio danada ao ouvir de tanta gente que não vê a …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados